Histórias emocionantes de soldados japoneses da Segunda Guerra Mundial

A Segunda Guerra Mundial foi marcante, e dela, muitas histórias de superação, reconstrução, renascimento e luta surgiram, em especial no Japão.

As histórias de alguns soldados japoneses impressionam, confira algumas delas.

Tanaka Akio

Tanaka é um soldado japonês que lutou durante a Segunda Guerra Mundial, nascido na cidade de Hokkaido, na cidade de Ebetsu. Sargento do Exército Imperial Japonês, foi capturado pelo Exército Soviético e mandado para a Rússia.

Foi prisioneiro de guerra dos soviéticos na cidade Khabarovsk por cerca de dez anos, forçado a trabalhar. Ao fim da guerra, quando os prisioneiros estavam sendo libertados, muitos com patentes altas ficaram com medo de voltar ao Japão e serem considerados traidores.

Tanaka Akio ficou com medo, depois de sair do campo de prisioneiros, seguiu para Vladivostock. Lá conseguiu se estabelecer, recebeu passaporte, nome russo e conseguiu um emprego. Tanaka Akio, era conhecido como Pyotr e trabalhou em um navio até se mudar para São Petersburgo e se aposentou.

Atualmente, vive em Pogi sozinho e sofre por estar longe do Japão, sente falta de suas origens, da cultura e das belezas do país. Tem vontade de saber como o Japão está nos dias de hoje, ver as flores de cerejeira e o povo.

Com 90 anos de idade foi até o consulado japonês contar sua história, uma inquirição foi enviada para poder voltar ao Japão e ainda aguarda para realizar seu sonho.

Leia também:

Hiroo Onoda

Hiroo Onoda é um soldado japonês que recusou se render, ficou confinado na ilha Lubang nas Filipinas por 30 anos, se alimentou de coco e frutas da ilha durante o tempo exilado.

As ordens de seus superiores do Exército Imperial Japonês eram diretas, Onoda não deveria sob hipótese alguma se render ou suicidar. Ele e mais três soldados entraram na mata da ilha para resistir aos aliados. Como estavam isolados não recebiam notícias ou quando ficavam sabendo de alguma coisa desacreditavam.

Assim passaram-se 30 anos sem saber realmente que a guerra acabara, foi o único a sobreviver até o fim. Em 1974, o major Taniguchi foi enviado para a ilha para convencer Hiroo a se render e voltar ao Japão.

Créditos: JIJI PRESS/AFP/Getty Images

Foi considerado heroi, lançou um livro e morreu aos 91 anos de idade em Tóquio.

Shoichi Yokoi

O sargento japonês Shoichi Yokoi tem a história parecida com a de Onoda. Yokoi viveu 27 anos na ilha Guam, no Pacífico por negar a se render pelos mesmos princípios de Hiroo Onoda.

Ao ser encontrado por dois caçadores locais declarou sentir vergonha em retornar ao seu país com vida, e desobedecer ordens do Exército Imperial Japonês de não se render.

Por fim, voltou ao Japão e foi recebido com muitas honras, inclusive, depois de alguns anos foi recebido pelo imperador Akihito. Morreu em 1997, com 82 anos.

*Artigo editado

Comentários

Copy link