Kabuki: da antiga encenação com mulheres à atual adaptação de One Piece

Conheça a trajetória do tradicional teatro japonês Kabuki, da antiga encenação com mulheres à atual adaptação do popular mangá, One Piece.

Kabuki Feminino

Kabuki é uma forma de teatro tradicional japonês, conhecido por seus desempenhos altamente estilizados, trajes e cenários bem particulares.

O Kabuki foi fundado por uma mulher chamada Izumo no Okuni que ficou famosa através de suas atuações inovadoras e extravagantes, a partir de 1603.

A fundadora do teatro kabuki Izumo No Okuni, segurando uma espada katana e portando uma cruz cristã

Considera-se que Izumo tenha sido uma miko (sacerdotisa xinto) do Grande Santuário de Izumo, tendo começado a criação deste novo estilo, composto por dança e canto, atuando em um leito seco do rio, em Kyoto.

Os primeiros dias do Kabuki foram dominados por trupes de performance feminina e foi amplamente associado com a prostituição. E quando as performances passaram a perturbar a ordem pública, o Kabuki foi proibido pelo Xogum, em 1629.

Estátua de Izumo No Okuni na margem do rio Kamo em Kyoto

Os desempenhos masculinos no Kabuki foram essencialmente um modo de contornar a proibição.

Os dois atores de Kabuki Bando Zenji e Sawamura Yodogoro, maio de 1794, por Sharaku.

Os atores masculinos aprenderam a desempenhar os papéis femininos e o Kabuki continuou. Com o tempo, a tradição de homens desempenhando papéis femininos tornou-se uma das características que definiam o Kabuki.

A Idade de Ouro do Kabuki

O período de 1673 a 1841 é frequentemente citado como a idade de ouro de Kabuki, quando essa arte tornou-se a forma predominante de entretenimento no Japão.

“A cena de um jogo”, por Masanobu Okumura, 1686-1764, retratando o teatro Ichimura Za,  Edo, no incio da década de 1740.

As performances aconteciam sempre cercadas por comidas, bebidas e prazer.

Encenação kabuki, cerca de 1860.

Os atores de Kabuki tornaram-se os temas mais populares e comentados das artes, e muitas das obras de arte japonesas mais conhecidas, são retratos de artistas famosos do Kabuki.

Segunda Proibição

No final do século XIX, o Kabuki começou um longo e lento declínio. Foi uma época em que Japão se concentrou na ocidentalização, na era Meiji.

Oniji tani III, Nakaz Nakamura II, como Edobee, em maio de 1794, Koi Nybo, Somewake Tazuna.

Ao longo deste caminho até a Segunda Guerra Mundial, o Kabuki foi usado como uma ferramenta de propaganda nacionalista. Depois da guerra, os americanos rapidamente o proibiram.

A volta do teatro bizarro

Existem várias maneiras de interpretar os kanji que compõem a palavra Kabuki. Porém, uma tradução literal e popular do termo é “Teatro Bizarro“.

Após a Segunda Guerra Mundial, o Kabuki quase desapareceu na história, quando as novas gerações o viam como uma bizarra e velha tradição em um mundo de televisão e filmes ocidentais.

Mas, foram os inúmeros esforços do Teatro Kabuki-za, em Tóquio, que começou a inspirar vida nova vida nesta arte, já na década de 1960.

Eles começaram a fornecer impressos e guias de áudio, que ajudavam o público na compreensão das performances.

O Kabuki costumava ser apresentado em 5 atos que duravam um excesso de 5 a 6 horas. O Teatro Kabuki za passou a vender bilhetes de apenas um ato, para os recém-chegados ao teatro.

O que esperar do Kabuki

Para assistir a uma apresentação Kabuki, muitas vezes é necessário um traje formal, como um terno ou quimono.

As performances são em japonês e podem durar mais de 3 horas. As apresentações tradicionais poderiam facilmente chegar a 6 horas de duração, mas foram resumidas para as produções modernas.

A barreira da língua, a exigência de traje formal, o custo e a duração das performances restringem um pouco o acesso aos turistas às apresentações. Mas, os estrangeiros, geralmente, aprovam os espetáculos.

Uma boa maneira de começar a desfrutar do Kabuki é começar com apenas um ato.

O Teatro Kabukiza, ainda vende bilhetes de apenas um ato.

Um tradutor ou guia podem ser essencial para desfrutar plenamente das performances, quando não se é fluente em japonês.

As performances são, frequentemente, bizarras até mesmo para os próprios japoneses. Mas aos que apreciam a arte dramática e têm muita curiosidade por esse gênero a experiência é muito válida e enriquecedora.

One Piece Super Kabuki II

Recentemente, em 2015, a companhia japonesa de entretenimento, Shochiku, fez uma adaptação para o Kabuki do popularíssimo mangá One Piece, de Eiichiro Oda.

A companhia transformou o mangá mais vendido da história em uma representação cênica extremamente estilizada, o que garantiu um excelente público ao tradicional teatro japonês.

O sucesso da montagem foi tão satisfatório, que a peça intitulada como “One Piece Super Kabuki II” acabou ganhando uma versão para o cinema, no final de 2016.

Tanto a versão para o teatro quanto para o cinema foram adaptadas para o japonês contemporâneo, mas mantendo elementos cênicos e cenográficos do Kabuki tradicional. Assista ao trailer abaixo.

Muito interessante, concorda?

Comentários

Copy link