Kepco reinicia reator na usina nuclear de Takahama em meio a protestos antinucleares

Apesar da profunda oposição pública após o desastre nuclear de Fukushima em 2011, a  Kansai Electric Power Company (Kepco) reiniciou, no dia 17, o reator número 4 da Central Nuclear de Takahama, na província de Fukui.

Central Nuclear de Takahama
Central Nuclear de Takahama, em Fukui (Crédito: Wikimedia)

O Japão fechou todos os seus reatores após o terremoto seguido de tsunami de 2011, que provocou fusões na usina nuclear de Fukushima.

O reator de Takahama é o quarto a voltar em operação no país. Os outros três são os reatores número 1 e número 2 na fábrica de Sendai Kyushu Electric Power Co., na província de Kagoshima e o reator número 3 na fábrica de Ikata Shikoku Electric Power Co., na província de Ehime.

O reator da Central Nuclear de Takahama entrou em operação pela primeira vez depois de quase 15 meses. Uma tentativa de reinício foi abortada em fevereiro do ano passado quando um alarme disparou devido a um problema com um gerador.

Esse incidente levou ativistas antinucleares a solicitar uma medida para interromper o reinício dos reatores número 3 e 4, alegando que os padrões de segurança eram inadequados. Em uma decisão histórica, o Tribunal Distrital de Otsu concordou com os demandantes e ordenou que os reatores fosse mantidos desligados.

Usina Nuclear Takahama
(Crédito: Kyodo News)

Entretanto, após a apelação da Kepco, a Suprema Corte de Osaka reverteu a decisão em março deste ano. Segundo a resolução, o reinício dos dois reatores da Central Nuclear de Takahama foi permitido. Shigeki Iwane, presidente da Kepco, anunciou o reinício em um comunicado. “Vamos continuar cuidadosamente o nosso trabalho com disciplina e considerar a segurança como a prioridade”, disse ele.

O governador da província de Shiga, Taizo Mikazuki pediu ao governo nacional a redução da dependência da energia nuclear. No entanto, o primeiro-ministro Shinzo Abe promoveu firmemente esta fonte de energia. Segundo Abe, ela é essencial para alimentar a terceira maior economia do mundo.

Leia também:

O reator atingiu a criticalidade, uma reação em cadeia de fissão nuclear auto-sustentada, na manhã de quinta-feira (18). O início da geração e transmissão de eletricidade está prevista para o dia 22. Já, o começo das operações comerciais está programado para meados de junho.

Central Nuclear de Takahama
O reator número 3 (esquerda) e o reator número 4 (direita) na Central Nuclear de Takahama, em Fukui. (Crédito: Mainichi)

A Kepco planeja reiniciar o reator Takahama número 3 no início de junho. Iwane anunciou sua intenção de baixar as tarifas de eletricidade após os dois reatores iniciarem as operações comerciais.

Protestos

protestos reator de Takahama
Manifestantes estão em frente dos portões da Central Nuclear de Takahama em Fukui. (Crédito: Mainichi)

No dia 7 de maio, cerca de 200 pessoas protestaram em frente aos portões da Central Nuclear de Takahama. O objetivo era expressar a oposição ao reinício das operações do reator número 4.

Os manifestantes gritaram frases como “um país suscetível à terremotos como o Japão não precisa de usinas nucleares” e “somos contra o reinício das operações (do reator)”.

Em Osaka, no dia 17, manifestantes reuniram-se na frente da sede da Kepco para protestar contra o religamento. O grupo expressava preocupações com a segurança e questionava sobre as questões econômicas por trás da decisão de retomar as operações.

Fonte: Japan Today, The Japan News/Jiji Press, MainichiJapan Times
Imagem destacada: Kyodo News

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link