Susto com mísseis: “Por favor, venha trabalhar como de costume”. O que você faria?

Os alertas de que um míssil norte-coreano estava atravessando o Japão deixou muitas pessoas assustadas e apreensivas no início do dia 29, nesta semana.

No entanto, algumas empresas, e até algumas escolas, classificaram como “atrasados” os funcionários e alunos que chegaram mais tarde depois de se refugiarem.

Leia também:

Susto com mísseis

Antes de ontem, a Coreia do Norte lançou um míssil sobre o Japão, desencadeando as sirenes de aviso e ativando o J-Alert nos telefones das pessoas, nas áreas potencialmente afetadas.

Os moradores foram informados de que um míssil estava passando, e foram encorajados a abrigarem-se em locais seguros.

No entanto, além do susto com mísseis, algumas pessoas receberam uma mensagem a mais, de “bonus”… do seu local de trabalho.

Muitos trabalhadores receberam e-mails informando-os que eles ainda tinham que ir para o trabalho, mesmo que um míssil tivesse passado por cima há alguns minutos. Mas, muitas pessoas estavam preocupadas com a possibilidade de que outro míssil pudesse estar a caminho.

Infelizmente, o tweet original que mostra as capturas de tela das mensagens foi excluído (provavelmente o usuário do Twitter não quer ter problemas com as empresas, depois que o tweet viralizou), mas aqui estão algumas traduções do que foi escrito:

(E-mail da empresa A)

[Importante] Quanto ao míssil (para todos)

Parece que a Coreia do Norte lançou um míssil que está passando pelo Japão. Por favor, venha trabalhar como de costume.

8/29 06:36

(E-mail da empresa B)

Assunto: Este é um recado de emergência

Data: 2017/08/29 06:31

Recebemos informações de que a Coreia do Norte disparou um míssil. Por favor, venha trabalhar depois de se certificar pelas informações de que é seguro.

(E-mail da empresa C)

Em relação ao turno de hoje

Hoje, 7:05

Bom dia.

Hoje às, aproximadamente, 6:00 da manhã, a Coreia do Norte lançou um objeto voador que passou pelo Japão.

Ainda não foi confirmado nenhum dano ao país, mas para ser mais seguro, iremos fazer a entrada ao trabalho 15 minutos antes do normal.

Você ainda pode dar uma corrida atrás do horário normal.

Continue prestando atenção às informações e aja de forma calma.

Pedimos desculpas pela mensagem repentina e agradecemos sua colaboração.

Segurança em questão

Os japoneses não sabem muito bem o que pensar sobre algumas destas mensagens. Mas para a maioria, a empresa A pareceu muito mal informada. No entanto, a empresa B, pelo menos, demonstrou um pouco mais de cuidado, mesmo dizendo para que todos fossem para o trabalho.

Mas, a empresa C é a mais confusa, dizendo aos seus trabalhadores que cheguem ainda mais cedo do que o habitual.

Claro, talvez eles quisessem que todos chegassem o mais rápido possível apenas para garantir que estivessem seguros. Mas não seria mais seguro dizer-lhes para ficarem em casa até a situação terminar?

Reações online

Veja o que os usuários japoneses do Twitter comentaram, depois de verem esses e-mails das empresas:

Japão: “Lançando um míssil durante as horas de trabalho … esses caras estão loucos!?”

Coreia do Norte: “Vai trabalhar mesmo quando um míssil é lançado … esses caras estão loucos!?”

“Japão, o país onde um míssil é lançado e as pessoas não se preocupam com o aviso do governo para se refugiar e, em vez disso, só têm a preocupação incrivelmente irreal de que devem trabalhar. Isso é realmente horrível. Quero dizer, se o míssil não atingiu nada, as pessoas que se refugiaram e depois foram trabalhar ficaram marcadas como “atrasadas?”

“Eu recebi o alerta J-Alert e me refugiei. Quando eu cheguei atrasado para trabalhar os colegas de trabalho olharam para mim como se eu estivesse louco. O Japão é assustador”.

“Os assalariados japoneses têm que ouvir seus chefes e não o governo. Se não o fizerem, seus meios de sobrevivência estão em perigo. Principalmente, todos os pais da família. Eles estão acorrentados aos seus empregos.”

“Só para que você saiba, foi igual em nossa escola também. Ficou marcado como “atrasado” quem apareceu mais tarde por se refugiar.”

Opinião de um jornalista americano

“Embora seja fácil apontar para o Japão, devemos pensar que, provavelmente, seria semelhante em outros países. No meu país de origem, os EUA, não é difícil imaginar as pessoas priorizando o medo de serem punidas em seus trabalhos por causa da ameaça, pouco clara, de um míssil.”

O que você faria se estivesse no Japão durante uma ameaça de míssil? Iria priorizar o chamado do trabalho ou o alerta de segurança? Deixe seu comentário!

Fonte: Twitter/@ donarudo_100 via My Game News Flash/SoraNews24
Imagem em destaque: PAKUTASO

Comentários

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link