“Yuna-Chan”: produto que devolveu a esperança para os agricultores de Fukushima

Passaram-se muitos anos desde que o devastador tsunami atingiu o litoral da província de Fukushima e milhares de pessoas tiveram que deixar suas casas por causa da crise nuclear que se instalou na região.

Nos últimos anos, cada vez mais cidades localizadas na área costeira estão retornando aos seus lares e começando a reconstruir suas vidas. Uma dessas regiões é Minamisoma, uma cidade que fica na parte norte de Fukushima e a cerca de 30 quilômetros da Usina Nuclear Fukushima Daiichi.

Leia também:

O desastre

Minamisoma
Minamisoma, em Fukushima, após o tsunami de 2011. (Crédito: flickr/Jun Teramoto)

Minamisoma era ocupada por uma vibrante terra agrícola com abundantes plantações de arroz e vegetais. Após o desastre em 2011, a cidade sofreu um enorme golpe devido a contaminação do solo por causa da radiação.

A maioria dos residentes de Minamisoma ganhava a vida por meio da agricultura e a fatalidade teve um efeito devastador em seus meios de sobrevivência. De acordo com os dados coletados em fevereiro de 2017, apenas cerca de 10% dos agricultores optaram por voltar ao cultivo. Embora ainda haja áreas restritas na cidade, alguns moradores estão tentando começar de novo e buscando soluções para recuperar a terra perdida.

O Projeto Nanohana: “Yuna-Chan”

Kiyoshige Sugiuchi
Kiyoshige Sugiuchi. (Crédito: Lifegate)

Uma dessas pessoas é Kiyoshige Sugiuchi, que por 18 anos cultivou arroz orgânico em Minamisoma. Embora o desastre tenha interrompido a sua plantação, ele não desistiu da lavoura.

Através de pesquisas, ele descobriu que a planta “colza” (“nanohana” em japonês ou “rapeseed” em inglês) foi usada para descontaminar o solo na Ucrânia, após o incidente de Chernobyl.

Segundo estudos, esta planta tem a capacidade de promover a “cura” das terras agrícolas através da absorção dos materiais tóxicos do solo. Além disso, o óleo de canola extraído de suas sementes permanece livre do elemento tóxico do solo (césio). Dessa forma, ele pode ser utilizado de forma segura como óleo de cozinha, para biocombustível ou em cosméticos.

nanohana
Colza ou nanohana. (Crédito: Pakutaso)

Durante o outono de 2011, ele plantou a primeira semente de nanohana em seu terreno. Logo, outras pessoas começaram a fazer o mesmo. Os moradores passaram a trabalhar juntos e formaram uma organização chamada de Minamisoma Agriculture Regeneration Council​ (Conselho de Regeneração da Agricultura de Minamisoma).

O “Projeto Nanohana” gerenciado por essa associação tem o objetivo de revitalizar as áreas afetadas pelo desastre nuclear através da descontaminação do solo e estimulação da economia local através de produtos criados à partir do óleo da semente de colza. Outra meta é a geração de energia renovável, a partir do metano emitido pela fermentação da canola.

Yuna-Chan
Yuna-Chan. (Crédito: LUSH)

Em setembro de 2014, com auxílio da comunidade e dos estudantes do ensino médio que ajudaram na colheita e na divulgação, começaram a ser comercializados o “Yuna-chan” – óleo de canola criado exclusivamente a partir do nanohana dos terrenos de Minamisoma.

O produto foi batizado de “Yuna-chan” devido a junção dos kanji: 油 (“yu” – óleo) e 菜 (“na” – colza). Ao contrário do petróleo importado no mercado japonês, Yuna-chan é 100% local e, para muitos, serve como um símbolo de esperança para os agricultores de Fukushima.

Expansão de Yuna-chan

Agora, além do óleo de canola Yuna-chan, eles também produzem maionese, molho e protetor labial. Todos esses produtos estão disponíveis nas lojas de Minamisoma. Esses itens são todos 100% seguros e livres de agentes radioativos.

 

Em março de 2016, a empresa de cosméticos LUSH Japan associou-se com a equipe de Sugiuchi para produzir sabonetes a partir do óleo de colza. Este produto é chamado de “Tsunagaru Omoi” que significa algo como “Conectando Corações”. Sugiuchi e sua equipe estão buscando parceiros e investidores para que o Projeto Nanohana continue expandindo.

Visite a cidade de Minamisoma

Visitar a cidade de Minamisoma para ver por si mesmo a situação da região e apoiar a recuperação da área pode ser uma experiência incrível. Existem centros de informações onde você pode coletar explicações úteis sobre o desastre e sobre os acontecimentos que se sucederam.

E, claro, é uma ótima oportunidade para comprar os produtos Yuna-chan. Por enquanto, eles estão disponíveis apenas em Minamisoma. Ajudar o Projeto Nanohana, mesmo com pequenos atos, pode contribuir para a recuperação da área e para um futuro melhor.

 

SiteNanohana Project website (apenas em japonês)

Fonte: Japan InfoLUSH, The Wall Street Journal

yuna-chan

Comentários

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link