Pela primeira vez desde a II Guerra Mundial, Japão faz simulação de ataque em Tóquio

Pela primeira vez desde a segunda guerra mundial o Japão realizou exercícios de evacuação em Tóquio em caso de ataque com mísseis de agressores estrangeiros.

Simulação na capital japonesa

Simulação em Tóquio

Desde 2017 mais de 20 exercícios aconteceram em todo país. Porém é a primeira vez que eles ocorreram na capital japonesa. Cerca de 350 voluntários participaram da simulação em Tóquio.

O exercício foi idealizado pelo governo japonês, Departamento de Bombeiros e governo de Tóquio. O ensaio simulou um ataque de um míssil balístico.

A simulação aconteceu no dia 22 de janeiro de 2018 no bairro de Bukyo, conhecido por abrigar o Tokyo Dome, estádio do time de baseball Yomiuri Giants e o famoso parque de diversões LaQua.

Protestos

Os participantes se refugiaram em estações de metrô e passagens subterrâneas. O exercício atraiu pessoas que protestaram contra o aumento da capacidade militar japonesa.

Protestos no Japão, Tóquio
Créditos: (AP Photo/Shizuo Kambayashi)

Em 2016 o governo japonês e sul coreano fecharam um acordo de cooperação de inteligência e defesa. Na época opositores do governo de Shinzo Abe e ativistas criticaram a medida relembrando períodos entre 1910 e 1945.

Os 35 anos de brutal ocupação japonesa na península coreana é lembrado pelo partido democrático do Japão que na ocasião emitiu um comunicado:

“O Japão já ocupou a península coreana e dominou os cidadãos com seu poder militar e ainda não está admitindo muitas das atrocidades passadas”.

Ativistas no Japão

Há um grande receio por parte da população japonesa com as ambições do primeiro-ministro em revisar a constituição pacifista do Japão e acabar arrastando o país para uma guerra como consequência.

Medo

Shota Matsushima de 20 anos, estudante universitário e voluntário na simulação declarou: “Acho melhor do que nada (exercício), mas rezo para que não haja ataques de mísseis da Coreia do Norte”.

Já Mari Chihara, ativista de 68 anos não acredita que a simulação ajude e afirmou: “O exercício areja o medo de mísseis entre os japoneses e a aumenta a animosidade em relação a Coreia do Norte. Ninguém sobreviveria a uma guerra, um ataque nuclear devastaria tudo”.

 

Leia também

Japoneses não sabem como se proteger de mísseis norte-coreanos

Autoridades japonesas avisam que os cidadãos terão apenas 10 minutos de aviso, se um ataque da Coreia do Norte acontecer

Misseis norte-coreanos podem custar bilhões de ienes aos radiodifusores japoneses

As crescentes troca de farpas entre EUA e a Coreia do Norte geram tensão em toda Ásia, em especial no Japão e Coreia do Sul. Ambos países são aliados dos EUA e possuem bases americanas em seu território.

O regime juche assegura que seu arsenal bélico e nuclear são para sua auto-defesa. Acrescentam que o único país que deveria se preocupar com as armas nucleares norte-coreanas são os EUA.

Porém, especialistas descartam um conflito com a nação por não ser vantajosa para nenhum dos lados.

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link