Linha Sanko que ligava Shimane a Hiroshima fecha por falta de passageiros no Japão

Para tristeza de muitos japoneses nostálgicos, o grupo JR (Japan Railways) fechou a linha Sanko no último dia 30 de março de 2018 no Japão.

Linha Sanko

A linha Sanko fazia um trajeto de 108 km. Ela ligava a cidade de Gotsu, da prefeitura de Shimane, com a cidade de Miyoshi, na prefeitura de Hiroshima.

Essa é a primeira vez que uma linha desse porte fecha desde que o grupo JR (Japan Railways) assumiu em 1987.

Apesar da tristeza muitos compareceram nas paradas para se despedir.

Leia também

Yaeyama: conheça o paraíso escondido de Okinawa

Exemplos do Japão: conheça a história de Kana Harada, única passageira de uma estação de trem que funcionou até a sua formatura

Beleza

O trajeto era conhecido como um dos mais belos e admirados. Afinal, o trem percorria grande parte do Japão rural passando por parte do rio Gonokawa. A vista era de natureza abundante.

Nostalgia

Mieko Sanbonmatsu de 70 anos de idade contou ao Japan Times que ela usava a linha para visitar o pai quando era criança. Por isso, ela estava lá para se despedir, já que a linha Sanko fez parte de momentos importantes de sua vida.

Falta de passageiros

Cerca de 400 passageiros usavam a linha Sanko por dia quando foi inaugurada no Japão. Porém, em 2016 a média caiu para 83 pessoas, tornando a linha de mais de 100 km insustentável para a JR.

Cidades fantasmas

Com a notícia do fim da linha Sanko, um problema no Japão ficou em evidência. Cada vez mais áreas rurais e afastadas ficam sem acesso por falta de passageiros.

A tendência crescente é das cidades mais afastadas sumirem aos poucos por falta de moradores no Japão. Afinal, os jovens preferem morar nas grandes cidades por encontrarem mais oportunidades de emprego.

Com isso, pequenas cidades abandonadas apenas crescem no Japão e a maioria com população idosa. Um exemplo é o vilarejo Nagoro, que possui apenas 35 habitantes.

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link