Câmeras de segurança com Inteligência Artificial chegam às lojas no Japão e reduzem os furtos em 40%

Com estas câmeras de segurança, quando um funcionário se oferecer para ajudá-lo é porque, provavelmente, você está agindo de forma suspeita.

Leia também:

Novas câmeras de segurança

A inteligência artificial continua firme infiltrando-se em nossas vidas diárias. Agora, a AI (Artificial Intelligence) está encarregada de combater um crime tão antigo quanto o próprio comércio: o furto em lojas.

Um estudo recente, da gigante das telecomunicações NTT, descobriu que as empresas japonesas perdem cerca de 400 bilhões de ienes (US$ 3,7 bilhões) por ano através dos “descontos dos cinco dedos”.

Nenhuma loja está imune a esse tipo de furto. Exceto, talvez, as lojas de bigornas. E a tecnologia ainda precisa encontrar uma solução eficiente para combatê-lo de fato.

Por isso, a NTT e a empresa de tecnologia Earth Eyes juntaram-se para criar o AI Guardman (“guardman” é a palavra conhecida entre os japoneses para se referirem ao “segurança”). Portanto, esta é um novo tipo de câmera de segurança, que conta com o apoio de um sistema de inteligência artificial. E ela pode detectar comportamentos atribuídos aos ladrões de lojas.

Como funciona

O modo como a câmera funciona é simples. Ela observa o interior da loja e identifica todos os humanos que estão dentro dela caminhando. E a AI Guardman está preparada para identificar as diferentes técnicas mais usadas pelos ladrões de lojas. Tais como, procurar por pontos cegos ou verificar constantemente o seu entorno.

Se um comprador demonstrar movimentos ou posturas típicas de um ladrão, um alerta é enviado ao smartphone do funcionário. Informando a localização e a foto do suspeito.

Então, o funcionário vai até a pessoa e pergunta: “Bom dia! Posso ajudá-lo em a encontrar o que procura?”. Portanto, a abordagem amigável é eficaz o suficiente para afastar as possíveis intenções de furto. Mas também, pode afastar um cliente caso a AI estrague tudo.

Depois, usando o smartphone, o atendente registra a abordagem ao suspeito. E os resultados são compartilhados com a loja e com o sistema AI Guardman. Isso, visa melhorar o nível de segurança.

Os resultados

Testes preliminares parecem ser eficazes também. Além disso, esses testes foram realizados por grandes varejistas, como a megastore de eletrônicos Bic Camera, a farmácia Kirindo e a loja de artigos esportivos Xebio.

Uma loja em particular, relatou uma queda nas perdas com furtos. Ela caiu de de 3,5 milhões de ienes (US$ 32.000) por ano, para 2 milhões (US $ 18.000). E espera-se que o sistema fique cada vez mais eficiente à medida que for usado. Pois como sabemos a inteligência artificial é aprimorada com a utilização humana.

Portanto, se quiser comprar este sistema para proteger os seus valores terá que desembolsar uma quantia justa. Esta câmera, que tem um alcance de 13 metros e abrange uma faixa de 144 graus, custa 238.000 ienes (US$ 2.200) adiantados. E ainda, há uma taxa mensal de 4.500 ienes (US $ 41) por câmera, para uso dos dados em nuvem que ela produz.

Considerando a economia potencial em mercadoria perdida, esse até que pode ser um preço pequeno.

Agora, em um nível pessoal, quando um atendente do Japão te perguntar se pode te ajudar, é melhor aceitar. E pode até agradecer à AI!

Fontes: NTT , IT Media , Hachima KikoYouTube / Earth Eyes, SoraNews24@Press (1 , 2 )

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link