Por que é tão importante ser pontual no Japão?

Muito se diz sobre a pontualidade britânica, porém, a preocupação em ser pontual no Japão é algo que transcende gerações.

A pontualidade é levada tão a sério, que ultrapassa os níveis profissionais. Essa “regra” vale também para questões pessoais. Entenda como um estilo de vida.

Se um amigo atrasar três minutos, por exemplo, não é motivo para chateação extrema (ainda sim, deve-se pedir desculpas), já no ambiente profissional, um minuto pode ser imperdoável.

Sabe aquele “jeitinho brasileiro” de marcar um evento ou confraternização com os amigos em um determinado horário e chegar apenas 1 hora depois? Isso não é muito comum no Japão. Pode ser visto como um gesto grosseiro.

Porém, tudo depende. Deve-se levar em consideração seu nível de intimidade com a pessoa e como ela lida com essas questões.

Não vamos generalizar, o que acontece, é que essa cultura da pontualidade está presente, mas pode acontecer da pessoa ser mais flexível em relação a isso.

Pontualidade no transporte público

Em um caso notável, a empresa japonesa Metropolitan Intercity Railway Co., que liga Tóquio a Minami-Nagareyama, se desculpou profundamente e publicamente pelo trem Tsukuba Express ter atrasado 20 segundos.

Um caso semelhante se repetiu em 2018, o trem deveria ter saido da estação Notogawa às 07hs:11min, porém acabou atrasando um minuto. Mesmo assim, chegou na plataforma de destino 25 segundos depois do que o previsto.

A empresa responsável pelo trem emitiu um pedido de desculpas pelo inconveniente. Ainda no comunicado, o atraso foi classificado como imperdoável. Deu para perceber que a pontualidade dos transportes japoneses é levado a sério.

Leia também

Por que o Japão é pouco aberto aos trabalhadores estrangeiros e quais imigrantes têm mais chances atualmente?

Qual é o melhor? Diferenciando os bilhetes de metrô de Tóquio (com preços)

Pontualidade no trabalho

Nesse caso, a postura é mais extrema. As pessoas no Japão, costumam chegar a encontros profissionais pelo menos de cinco a quinze minutos adiantadas.

Por exemplo, se a reunião está marcada para começar às 10hs, esses cinco minutos ou quinze minutos serão fundamentais para que todos se organizem e comecem a conversar às 10hs em ponto.

Se ocorrer um atraso, é esperado que ele seja relatado com bastante antecedência e não perto da hora do encontro.

Se não conhecer o local do encontro, é esperado que você se adiante no dia anterior e conheça o trajeto para que não ocorra atrasos. O mesmo vale para entregas de projetos, nesse ponto não há flexibilidade.

Porém, o mesmo não acontece quando chega a hora ir embora para casa no final do expediente. Fazer hora extra é bastante comum e esperado.

Aliás, o mesmo acontece nas universidades e escolas. Essa característica pode causar incômodo e algumas pessoas estrangeiras, que são de países com mais flexibilidades no horário podem demorar a entender.

Nesse grupo, em sua maioria, encaixam-se brasileiros, chineses e coreanos que vivem no Japão. Alguns, não entendem o motivo de tamanha chateação por um atraso de cinco minutos.

Relógios estão espalhados por quase todos os lugares no Japão, desde parques e lojas. Tem até alguns em outdoors. Mas qual o motivo dos japoneses serem tão restritos quanto aos horários e pontualidade?

Não existe uma resposta certeira, mas sim teorias. Em uma delas envolve o respeito com o próximo e está ligado diretamente com a educação japonesa.

Em outra, as pessoas eram mais despreocupadas com o tempo na era Meiji e atrasos de 30 minutos eram aceitáveis.

Quando a era Shogun começou, um novo sistema de trabalho teve início, em que a produtividade estava relacionada diretamente com o tempo gasto nas fábricas.

Então, um padrão se criou para não desperdiçar recursos e produzir mais. Aos poucos foi transferido para outras áreas da sociedade japonesa.

O que acha da pontualidade japonesa e a falta de flexibilidade nesse quesito. Já morou no Japão? Conte para nós como você lidava com essa questão.

Pontualidade no Japão

Comentários

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link