Previdência social no Japão: vale a pena para os estrangeiros pagarem?

A partir da década de 80, muitos nisseis e sanseis brasileiros saíram em busca de melhores oportunidades e experiências de vida no nihon.

Por isso, uma dúvida é comum entre a comunidade, – será que vale a pena para estrangeiros pagarem a previdência social no Japão?

Para responder a essa pergunta, é necessário entender como funciona o sistema de pensões japonês. É importante ter em mente que há dois tipos de contribuições diferentes.

Um deles é obrigatório a todas as pessoas que trabalham no Japão mesmo em contratos temporários.

Kosei Nenkin

O kosei nenkin é o plano de seguro de pensão do empregado. Ou seja, o equivalente a contribuição do trabalhador para o INSS. Esse é o imposto obrigatório a todos os trabalhadores no Japão.

Quem trabalha meio período ou em empregos temporários (informais), deve pagar ao governo japonês 16.340 ienes mensais por meio de faturas emitidas por órgãos oficiais, que podem ser mensais ou trimestrais.

Já trabalhos formais de tempo integral devem pagar 9,15% de seu salário. Porém o valor já é deduzido direto da fonte. Vale lembrar que esses valores foram estipulados para o ano de 2018.

Kokumin Nenkin

O kokumin nenkin é o plano de pensão nacional. É uma contribuição facultativa que permite ao trabalhador ter uma aposentadoria maior.

É algo como uma previdência privada no Brasil. Porém, no Japão, o próprio governo oferece essa condição de pagar a mais, para receber mais no futuro.

Uma vez que o trabalhador comece a contribuir com os encargos da previdência social do Japão, receberá do Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar um livro chamado nenkin techo.

nenkin techo do Japão

Nesse pequeno livro será registrado todos os pagamentos feitos. Por isso é muito importante guardá-lo com cuidado.

Normalmente os guias para o pagamento do kosei nenkin chegam no mês de abril e pode ser pago em correios, lojas de conveniência, banco ou outro estabelecimento que realize essa operação.

Após pagar, guarde com cuidado os holerites de pagamentos. São com eles que você terá o controle do shakai hoken (previdência social).


Leia também


Dificuldades

Pessoas que trabalham em mais de um emprego podem se surpreender com o valor dos encargos que cada trabalho exigirá.

Outro problema é a inconstância das pensões japonesas por causa do envelhecimento da população, o déficit de mão de obra e na arrecadação para a previdência.

Por isso, não se assuste com as oscilações que podem acontecer no futuro.

Vantagens

O governo japonês garante mais de 50% do valor dos salários anuais para os contribuintes, apesar das flutuações das arrecadações.

Em caso de desemprego ou invalidez, a pensão pode ser resgatada, inclusive, para estrangeiros que irão embora.

Mas se o estrangeiro não resgatar o valor e for embora do país e depois voltar para o Japão e ao mercado de trabalho, o que foi pago anteriormente se mantém no sistema.

Apesar do imposto do empregado ser obrigatório, o imposto nacional pode ser uma alternativa viável dependendo do tempo que você pretende e estará autorizado a permanecer no país.

Você também pode conferir informações completas no site do próprio governo japonês. Clique aqui para acessar.

Gostou do artigo? Inscreva-se em nossa Newsletter e receba conteúdos do Japão.

carteira com ienes
Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link