Morar no Japão: diferenças entre morar no interior ou em metrópolis

Morar no Japão é uma experiência de vida transformadora e inesquecível, mesmo com algumas adversidades encontradas tanto no interior, quanto nas grandes metrópoles do país.

Embora as grandes cidades como Tóquio e Osaka possam ser consideradas cosmopolita, não é tão simples para estrangeiros conseguirem se adaptar totalmente a cultura nipônica.

Já em pequenas cidades, vilarejos e áreas rurais, as tradições milenares do país são muito mais fortes, por isso é possível que os estrangeiros ocidentais encontrem algumas adversidades com a comunidade local.

Considerando que o Japão é o país com a população mais hegemônica do mundo, é natural que existam obstáculos para integração na sociedade japonesa.

Conveniências nos grandes centros urbanos

Poucos países do mundo possuem uma infraestrutura tão inteligente e sofisticada como o Japão, as grandes cidades são modelos para o mundo.

Além disso, o transporte público das grandes metrópoles fazem com que o uso de carros seja dispensável, já que normalmente você encontrará uma estação a cada 30 minutos de caminhada.

Além disso, exite abundância de opções de lazer, entretenimento, lojas e restaurantes sempre disponíveis.

Vale lembrar que muitos locais históricos, templos, jardins, santuários e monumentos da história do Japão estão preservados e fazem parte do cotidiano das grandes cidades.

Outro grande atrativo são as oportunidades de emprego, é mais comum para um estrangeiro encontrar vagas nos centros urbanos, do que nas regiões do interior do país.

As grandes cidades também possibilitam um grande intercâmbio social e cultural com pessoas do mundo inteiro. Afinal, são mais de 20 milhões de turistas que o Japão recebe por ano.

Dificuldades dos grandes centros urbanos

Entretanto, existem algumas adversidades que podem gerar muito desconforto, talvez, o maior deles seja a falta de espaço e a superlotação nas vias e transportes públicos.

Quem já viveu em cidades como Tóquio, Chiba, Sapporo, Osaka e Kyoto sabe que os imóveis possuem uma área útil muito pequena.

Além disso, a maioria dos apartamentos têm paredes muito finas. Então, qualquer barulho que você ou seu vizinho fizer será ouvido por muitas pessoas.

Isso acaba reduzindo um pouco a noção de privacidade, afinal, o silêncio e o respeito ao espaço do próximo são preceitos fundamentais da cultura japonesa.

Outro problema é o idioma, especialmente para conseguir empregos com melhores remunerações.

A maioria dos japoneses não falam inglês e viver apenas com esse idioma pode ser bem complicado. Por isso, ter alguma noção de japonês é fundamental.

E sobre o custo de vida nas grandes metrópoles japonesas, ainda que muitas coisas sejam realmente mais baratas, que em muitos lugares do mundo, as contas, impostos, aluguel e alimentação não são.

Leia também

Gostaria de se mudar? Revista revela as 10 melhores cidades do Japão para se viver

Harie: um belo distrito japonês com um curioso sistema de purificação de água

Omihachiman te levará ao Japão antigo

A vida no interior: os desafios nas raízes da tradição japonesa

É verdade que não é muito comum estrangeiros vivendo em pequenas cidades, zonas ruais e pequenos vilarejos por diversos motivos.

Talvez, o mais impactante seja a pouca oferta de emprego, um problema que em muitos lugares afeta a própria população local.

Além disso, outra grande dificuldade é o idioma, normalmente a população de áreas do interior e cidade com menor densidade demográfica não falam inglês.

Portanto, dependendo da região, o dialeto pode ser diferente de outros do país, o que também dificulta em conseguir fazer amizades.

Embora não seja uma regra, geralmente, as comunidades japonesas do interior do país tendem a ser mais fechadas e reservadas com estrangeiros.

Então, para conquistar a confiança e o carinho dos locais é um trabalho que demanda tempo e paciência, então a vida pode ser um pouco solitária inicialmente.

Mas quando se conquista a confiança das pessoas, a sensação de pertencimento a uma comunidade é gratificante.

Diferente das grandes cidades onde as pessoas não sabem ou não conhecem seus vizinhos, no interior do Japão é o oposto, todos se conhecem e tem tempo para conversar.

O ritmo de vida no interior é muito diferente e a vida é rodeada com a natureza e as paisagens mais belas que o Japão mantém preservado através dos milênios.

Aliás, viver próximo a natureza aumenta a imunidade do corpo, a saúde física e mental.

Por mais pacato que a vida no campo possa possa parecer, é uma oportunidade única para entender o espírito japonês, sua cultura, filosofia, tradição e idioma.

Gostou do artigo? Não deixe de se inscrever em nossa newsletter.

Comentários

Copy link