Dejima: conheça a história da ilha artificial de Nagasaki

A ilha artificial de Dejima é um dos pontos turísticos mais interessantes da cidade de Nagasaki. Além da beleza arquitetônica sua história é fascinante.

Dejima

Vista de Dejima

Dejima pode ser traduzido como “ilha de saída”. São aproximadamente 400 anos de história, mas a parte mais interessante tem cerca de 200 anos.

Porém, tudo começou antes mesmo da ilha ter sido construída com um acaso da natureza que proporcionou o primeiro contato do Japão com os europeus.

Período Nanban

O primeiro contato dos japoneses com os europeus aconteceu em certa medida graças ao acaso e a ação da natureza.

Em 1543 mercadores portugueses navegavam por águas próximas ao Japão, mas uma tempestade os forçou a mudar de curso e eles acabaram aportando na ilha de Tanegashima.

Interesse pelas armas

Nesse primeiro encontro, os portugueses encontraram com o governante local que se interessou pelas armas (mosquetes) dos europeus.

É por isso que essas armas no Japão ficaram conhecidas como Tanegashima. Esse comércio deu início ao que é conhecido como período nanban (comércio com os bárbaros do sul).

O comércio

A metade do século XVI foi marcado por uma intensa relação comercial entre europeus e japoneses.

Porém, o comércio com a região de Kyushu era particularmente difícil, pois a baía de Nagasaki não oferecia proteções aos navios contra o mar. Por isso, os navios mercantes aportavam na cidade de Hirado.

Logística comercial

Para resolver a logística comercial foi construído um porto na baía de Nagasaki em 1570 para receber os comerciantes europeus.

Durante alguns anos o comércio com o Japão foi dominado por mercadores portugueses. Os britânicos e holandeses que também disputavam o mercado japonês de armas e especiarias só vieram a partir de 1600.

Período Sakoku

Durante o período Edo houve o período conhecido como sakoku também chamado de período fechado.

Nesse período houve uma grande perseguição religiosa de religiões não nativas, ou seja, o cristianismo (e até mesmo o budismo).

Embora o cristianismo tenha sido banido do país em 1612 por ordem do shogun Tokugawa Ieyasu, o comércio com os europeus não foi suspenso.

Ilha artificial

Porém, as autoridades japoneses comercializavam com os europeus com cautela. Para controlar os comerciantes estrangeiros, Tokugawa ordenou a construção de uma ilha artificial em Nagasaki em 1634.

Mapa da ilha Dejima

A ilha batizada de Dejima foi projetada para abrigar os comerciantes estranheiros mais especificamente os portugueses.

Porém, a associação do portugueses na revolta conhecida como Levante de Shimabara causou a expulsão completa dos portugueses do Japão.

Fechado, mas nem tanto

Após a saída definitiva dos portugueses do Japão, Tokugawa permitiu que a ilha abrigasse comerciantes holandeses.

Apesar da perseguição contra cristãos em solo japonês, o comércio com os ocidentais se mostrou essencial para o shogunato.

Além de especiarias, os holandeses forneciam pólvora, canhões, armas e munição para as autoridades japonesas.

Única abertura

Durante todo o período de isolamento japonês, a única região que ainda possuía abertura comercial com o ocidente era a pequena ilha artificial de Dejima.

Porém existiam severas restrições. Os japoneses eram proibidos de entrar em Dejima sem autorização do governo e os holandeses eram proibidos de pisar em solo japonês.

Foram cerca de 200 anos de monopólico comercial dos holandeses. A ilha de Dejima só se tornou obsoleta após a abertura do Japão em 1853.

Dejima no Japão moderno

Após a abertura do Japão com o ocidente, Yokohama se tornou o principal centro comercial do Japão com nações estrangeiras.

Abandonada por anos, foi apenas em 1951 que começaram os planos para a restauração da pequena ilha artificial.

Ponte para Dejima

Porém, os trabalhos de restauração só começaram oficialmente em 1996. Em 2017 foi instalada uma ponte de Nagasaki ligando a ilha de Dejima. A primeira depois de 130 anos.

Leia também

Conheça a trajetória das armas de fogo no Japão no período feudal 

Conheça a história que inspirou o filme O Último Samurai 

Ilha Ryukyu, conheça a história do reino de Okinawa 

O acesso a ilha de Dejima custa JP¥ 510 para adultos, JP¥ 200 para estudantes universitários e JP¥ 100 para estudantes do ensino fundamental e básico. A ilha fica aberta todos os dias (incluíndo ano novo) e funciona das 08:00hs às 21:00hs.

Compartilhe! Clique aqui e receba nosso conteúdo exclusivo pelo Facebook Messenger.

Comentários

Copy link