Tsujiura senbei: biscoito da sorte é invenção japonesa

A origem do biscoito da sorte já foi alvo de polêmicas. A sobremesa é pouco conhecida na China apesar de ter feito sua história em restaurantes de comida chinesa dos Estados Unidos onde é muito popular.

Existem várias teorias para seu surgimento. Em 1983, nos Estados Unidos, houve até um julgamento (alvo de piadas) em São Francisco para determinar quem foi o inventor.

Tsujiura senbei

Tsujira senbei

No Japão é conhecido como tsujiura senbei, omikuji senbei e suzu senbei. O papel com a sorte (omikuji) é colocado na dobra ao meio do senbei enquanto ainda está quente.

Eles não faziam muito sucesso, já que os japoneses não entendiam seu propósito. Muitos comiam o biscoito inteiro sem nunca saber que havia um papel em seu interior. Por isso, passou a ser colocado na dobra do lado de fora.

Invenção japonesa

Quem descobriu evidências que os biscoitos são invenção japonesa foi Yasuko Nakamachi de acordo com reportagem do The New York Times.

Enquanto era estudante da universidade de Kanagawa na década de 90, passou seis anos pesquisando em livros de história, literatura e registros da biblioteca da Dieta, além de ter visitado templos e santuários em busca do surgimento dos biscoitos no Japão.

Tsujiura senbei 1878

Entre os registros achou uma imagem de um padeiro fazendo biscoitos da sorte em 1878 em Kyoto entre inúmeras referências em livros japoneses. Pequenos biscoitos moldados a mão tinham interior oco e um omikuji dentro.

A figura é do livro do século 19 Moshiogusa Kinsei Kidan. O livro Haru no Wakakusa do escritor Shunsui Tamenga faz referência a um homem que vendia biscoitos com sorte dentro.

Caminho para os EUA

Muitos japoneses migraram para os Estados Unidos entre os anos 1907 a 1914. Nas décadas de 20 e 30, muitos nikeis abriram restaurantes chop suey e serviam refeições chinesas com influências americanas, já que esse estilo já era bem consumido. Naquela época, comida japonesa não era popular.

Um deles era Makoto Hagiwara, dono de um restaurante chinês em São Francisco no Golden Gate Park e os biscoitos eram produzidos por uma padaria japonesa.

No entanto, após o decreto 9066 do presidente Franklin Roosevelt na segunda guerra, os japoneses americanos foram enviados a campos de concentração.

Os chineses passaram a vender os biscoitos em grande escala e tudo o que era japonês passou a ser repudiado. Essa é uma das teorias mais aceitas.

Leia também

Omikuji: o que é e como funciona esta loteria sagrada?

6 principais diferenças entre templos e santuários no Japão

História do Japão: campos de concentração de japoneses nos EUA

Omikuji é comum nos templos budistas e shinto do Japão. As sortes são colocadas em pequenos pedaços de papel e são comuns desde 1800.

Omikuji

Se a sorte não agradar, os japoneses amarram o papel em um galho de árvore ou nas grades dos templos e santuários.

omikuji senbei

Fato é, o biscoito da sorte é produzido pela padaria Sohonke Hogyukudo em Kyoto perto do templo Fushimi Inari desde a era Meiji (1867-1912).

Sohonke Hogyukudo

A receita original leva farinha, açúcar, óleo, gergelim e miso. São moldados em uma estrutura de ferro e feitos artesanalmente.

Compartilhe! Clique aqui e receba nosso conteúdo exclusivo pelo Facebook Messenger.

Comentários

Copy link