Ushi no Koku Mairi: maldição mais famosa do Japão

Presente na cultura há séculos, o ushi no koku mairi continua sendo a maldição mais famosa do Japão.

Você já deve ter visto em animações ou até mesmo em filmes japoneses uma espécie de boneco de voodoo, porém, de palha. Esse boneco é conhecido como wara ningyō (藁人形).

Episódio Tatami
Cena do episódio Tatami da série da HBO Folklore

Mas o que significa Ushi No Koku Mairi (丑の刻参り)? A sua tradução literal quer dizer “visita ao santuário na hora do boi”.

Ushi no Koku Mairi

ushi no koku mairi

É meio difícil rastrear sua origem. No entanto, o Ushi No Koku Mairi apareceu no Conto dos Heike  do período Kamakura (1185- 1333).

Além disso, no Nara National Research Institute for Cultural Properties, existe um boneco feito de tiras de madeira com prego de ferro pregado no peito do século 8. Os bonecos eram usados pelos feiticeiros Onmyoji da era Heian (794-1185).

Onmyoji: os místicos e poderosos sacerdotes do Japão antigo

A maldição

Wara ningyo

A maldição deve ser realizada durante a hora do boi, isto é, entre a uma e três horas da madrugada.

Nesse horário, o véu entre o mundo dos vivos e dos mortos é mais fino. Antigamente, antes das maldições, as pessoas costumavam fazer suas preces em santuários shinto na hora do boi.

Resumidamente, o boneco wara ningyō deve conter alguma coisa da vítima antes de ser pregado em uma árvore sagrada (shinboku) de um santuário shinto.

A partir daí existem várias versões do ritual. Itens específicos devem ser usados, assim como vestimentas. Alguns dizem que o ritual causa sofrimento ou morte.

Apesar do Japão ter se tornado uma nação secular, isto é, com separação clara entre estado e religião, muitas superstições antigas ainda fazem parte da sociedade japonesa em forma de lendas e permeia o imaginário popular.

Leia também

Rokuyo – a superstição japonesa que diz quais são os dias de sorte no Japão 

Yureei: por quais motivos os japoneses tem tanto medo desses fantasmas

10 filmes de terror para assistir se tiver coragem

Em janeiro de 2017, por exemplo, um homem japonês foi preso por assédio. Ele pregou um wara ningyō em um estacionamento com o nome da dona de um estabelecimento comercial em Gunma escrito com tinta vermelha.

Compartilhe! Clique aqui e receba nosso conteúdo exclusivo pelo Facebook Messenger.

Comentários

Copy link