Sogen Kato: sua morte iniciou uma corrida aos centenários no Japão

A história de Sogen Kato parece ser uma pegadinha, mas aconteceu no Japão. Ele era considerado o homem mais velho de Tokyo até que autoridades foram até sua casa parabenizá-lo pelo seu 111 aniversário. Saiba mais.

Sogen Kato

Em 2010, os noticiários japoneses e internacionais veicularam a notícia que parecia ser inacreditável.

As autoridades foram até sua casa em Adachi e a neta confessou que seu avô tinha se trancado no quarto há 32 anos.

Sem chave para abrir, sua mãe simplesmente o deixou lá.  Quando os oficiais entraram viram o corpo mumificado de Kato deitado na cama. Ele estava vestido com pijamas e coberto com uma manta.

Eles já tinham tentado visitá-lo antes, mas a família não deixava inventando desculpas e dando sermões budistas.  Depois da descoberta, sua filha contou que ele tinha se trancado no quarto para se tornar um Buddha vivo. No entanto, de acordo com a necrópsia não foi possível constatar a causa de sua morte.

Sokushunbutsu

Essa é uma prática que realmente existe. Monges shugendo voluntariamente se mumificavam vivos em um processo chamado sokushunbutsu. O ritual durava cerca de nove anos em que seis o monge permanecia vivo.

A alimentação ficava restrita a nozes e raízes para depois ingerir apenas líquidos e finalizar com o consumo de uma bebida tóxica da árvore urushi conhecida como laca natural.

Essa mistura agia desidratando o corpo aos poucos e ajudava na preservação. Reduzido a ossos e pele, o monge meditava em posição de lótus e era enterrado por 1.000 dias.

Se o processo fosse concluído com sucesso, ele era considerado um Buddha vivo e recebia honrarias.

Pensão

Caderneta Japão

A família recebeu ao total 9.5 milhões de ienes de pensão alimentícia até aquele momento. Além disso, desde 2004 recebiam uma pensão extra em nome de Kato pela morte de sua esposa (101 anos).

Sogen Kato nasceu em 22 de julho de 1899 e as autoridades acreditavam que ele morava com sua filha de 81 anos, seu marido de 83 anos e seus dois filhos de 49 e 53 anos (netos de Kato). Era considerado em 2010 uma das cinco pessoas mais velhas do Japão.

Filha e neta foram presas e processadas por fraude. A neta foi condenada a dois anos e meio de prisão e teve que devolver o dinheiro das pensões.

Onde estão os centenários?

Rua do Japão movimentada

Na época, uma busca pelos centenários do país começou. Eles queriam verificar se eles estavam bem e vivos, já que a notícia repercutiu negativamente.

No entanto, descobriram casos impossíveis de checar. Uma mulher que teria 113 anos e era a mais velha de Tokyo tinha sido vista pela última vez na década de 80.

Leia também

Outra de 125 anos também estava desaparecida. Quando os oficiais do governo foram até sua residência registrada descobriram que o local tinha virado um parque em 81.

Então, o primeiro ministro da saúde daquela época, Akira Nagatsuma, mandou que eles verificassem pessoalmente todos com mais de 110 anos. Ao total, não conseguiram encontrar mais de 281 centenários.

O censo japonês divulgou em 2019 que 70.000 japoneses têm 100 anos ou mais. Até março de 2020 mais 37.005 pessoas se tornariam centenárias.

Já a prática de esconder o corpo de um parente falecido para continuar recebendo benefícios não é exclusividade do Japão, com casos famosos nos Estados Unidos também.

Segundo a lei japonesa, não reportar falecimento ou desaparecimento para coletar pensão é crime, mas as autoridades não conseguem monitorar todos.

Fontes: BBC, CNN, Daily Mail, The New York Times.

História de Sogen Kato

Comentários

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link