Covid-19: Brasileiros lutam contra o desemprego no Japão e fazem arubaito no centro de coleta de lixo

Como consequência dos efeitos da pandemia no Japão, vários trabalhadores estrangeiros, incluindo muitos brasileiros, perderam seus empregos. Mas, algumas oportunidades de trabalho estão surgindo, e assim, restabelecendo a estabilidade para essas pessoas.

Desde julho, três homens brasileiros que estavam desempregados por causa do novo coronavírus estão trabalhando em meio período no Departamento de Meio Ambiente da cidade de Toyohashi, na província de Aichi, para coletar e separar o lixo.

Inicialmente os chefes ficaram preocupados com a aceitação dos estrangeiros, no entanto, os novos trabalhadores conseguiram se comunicar bem e foram bem acolhidos.

Novo desafio e alívio

Manhã no final de agosto. Mauro (59) e Ozeas (44), que moram na cidade, apareceram com roupas de trabalho azuis ao trabalho. Os dois entraram nos respectivos carros e partiram para a coleta de lixo.

Quando os caminhões de coleta param, eles carregam o lixo imediatamente. Mauro diz: “Cacos de vidro ou objetos pontiagudos podem pular do saco de lixo, então é uma boa ideia segurar o nó do saco com firmeza”.

Mauro veio ao Japão há 25 anos. Trabalhou em uma empresa de transporte e fábrica, mas devido a crise, foi demitido nesta primavera.

Por outro lado, Ozeas veio ao Japão vinte e três anos atrás e trabalhou em uma fábrica na cidade, mas também perdeu o emprego no mesmo período.

Ambos correram para empreiteiras e procuraram trabalho, mas não conseguiram encontrar vagas disponíveis.

Naquela época, Ozeas participou de uma entrevista de emprego de meio período na cidade para estrangeiros que perderam seus empregos e foi contratado.

“Estou feliz por poder trabalhar, estou aliviado por poder viver com isso”, disse Ozeas.

Koide Toshio (60), brasileiro que mora na cidade, faz o trabalho de triagem manual. Ele veio para o Japão há vinte e oito anos e era funcionário de uma fábrica, mas em maio parou de trabalhar e passou a trabalhar meio período na cidade.

Ele retira e separa latas de spray, isqueiro, agulhas, lâminas e objetos pontiagudos dos sacos de lixo. É necessário manusear materiais perigosos, e usar botas grossas, máscaras, mangas compridas e calças. O local de trabalho é ao ar livre e coberto com telhado.

Seus superiores sempre sugerem ao brasileiro “Tome água” e “Vá descansar um pouco” para que Koide, que não está acostumado com isso, não tenha insolação.

“Se você tiver dúvidas no que fazer, pergunte às pessoas e elas dirão. É fácil.” diz Koide

Desemprego no Japão

Com a crise de empregos provocada pelo Covid-19, achar trabalho para estrangeiros não está sendo fácil.

Hitomi Koshimizu, Diretora da Divisão Internacional para Coordenação Multicultural na Cidade, diz: “É difícil para os estrangeiros que perderam seus empregos recuperarem uma vida estável”.

A situação parece ser séria, especialmente se você não fala japonês. O brasileiro Koide explica: “Mesmo entre colegas brasileiros, ouvi dizer que muitos estavam desempregados, sem casa para morar, e muitos com dificuldade de comprar comida.”

Koshimizu recomenda que é necessário aprender o idioma japonês para facilitar a procura de emprego “Gostaria que os estrangeiros aprendessem o japonês para se comunicar melhor.”

Existem cerca de 20.000 estrangeiros vivendo na cidade de Toyohashi, o que significa 5% da população local, ficando apenas atrás da cidade de Nagoya em relação ao números de estrangeiros residentes.

Fonte: Chunichi Shimbun

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link