Uma pirâmide esquecida e mágica no Japão: o Monte Kuromata

O Monte Kuromata, comumente conhecido pelo nome de “Kuromanta”, fica 280 metros acima do nível do mar na cidade de Kazuno, na província de Akita. Dois quilômetros a sudoeste estão os Círculos de Pedra de Oyu, que fazem parte de uma série de sítios arqueológicos do período pré-histórico japonês de Jomon em Hokkaido e na região norte de Tohoku.

Eles foram definidos para serem incluídos na Lista do Patrimônio Mundial. Acredita-se que os círculos de pedra tenham tido algum tipo de conexão com esta montanha no passado.

Mas, para além de sua beleza, sua forma levanta inúmeras lendas, inclusive de que ali há magia.

O Monte Kuromata foi feito pelo ser humano?

Quando vista à distância, a montanha tem lados em forma triangular ordenada, o que lhe valeu o apelido de “pirâmide do Japão”. Diz-se que o nome local “Kuromanta” tem raízes na língua Ainu, e a lenda também diz que o local é um túmulo onde Kurosawa Manta, o chefe da comunidade local nos tempos antigos, foi enterrado. No topo da montanha está o Santuário Motomiya, cujo portão torii está localizado no início da trilha da montanha.

A teoria de que o Monte Kuromata é uma pirâmide antiga perdurou entre os especialistas. Na década de 1990, um grupo formado por arqueólogos reuniu especialistas em estudos do folclore xintoísta, antropólogos culturais e outros para uma investigação que tentasse desvendar os mistérios da montanha.

De acordo com o relatório investigativo publicado em março de 1995, uma sonda subterrânea baseada em radar detectou uma reação indicando a existência de estruturas artificiais na área subterrânea abaixo do cume – que também é a área abaixo do edifício principal do santuário xintoísta.

Surgiu a possibilidade de que o topo da montanha pudesse ser uma colina feita pelo homem.

O relatório concluiu haver “fortes sugestões de que o local foi construído com objetivos específicos, através da reestruturação da montanha na natureza, bem como da construção de estruturas artificiais”. Em outras palavras, acredita-se que o Monte Kuromata seja um local ritual em forma de pirâmide de degraus.

Monte Kuromata era e é um lugar divino

Um médico que era parente de um guerreiro da metade do período Heian (794-1185) que governava a população Emishi no nordeste do Japão escapou perto do Monte Kuromata e consagrou uma divindade curadora na montanha.

Fragmentos de cerâmica do final do período Jomon e do período Yayoi, bem como partes dos círculos de pedra, foram escavados ali, sugerindo que toda esta montanha era considerada um lugar sagrado entre os povos antigos.

A montanha também é conhecida como o tema de uma pintura do artista Toya Banzan (1876-1966), que retratou um misterioso objeto voando no alto enquanto emite luz.

Yasuo Abe, 70, que é o chefe da associação turística da região e especialista na mitologia que cerca a montanha, disse: “Embora originalmente fosse considerada uma montanha vulcânica natural, ela era adorada na comunidade como uma montanha especial. ”

Fonte: Mainichi.JP.

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link