Entenda motivo do santuário Watatsumi ter banido estrangeiros

Uma crise se instaurou na pequena ilha de Tsushima quando o principal sacerdote do santuário Watatsumi decidiu banir turistas estrangeiros do local sagrado.

Devido ao mau comportamento de alguns indivíduos mau intencionados, talvez, pessoas de outras nacionalidades poderão ser impedidas de visitar o santuário.

O sacerdote que se identificou apenas como Negitama publicou a decisão pelo Twitter, a justificativa para a situação era a degradação do espaço sagrado pelos turistas.

Esse não é o primeiro santuário ou ponto turístico que decidiu parar de receber turistas estrangeiros por conta do mau comportamento.

Outros proíbicionistas

No templo budista Nanzoin em Sasaguri, Fukuoka, turistas estrangeiros foram banidos oficialmente em 2016 após uma série de casos de comportamentos abusivos.

Em locais de treinamento para os monges, alguns faziam piqueniques e tocavam música. Em um caso extremo, um visitante estrangeiro subiu no telhado do templo para tentar invadi-lo.

Os problemas começaram quando caravanas de 20 a 30 ônibus fretados de turistas chegavam diariamente ao templo. Além dos desordeiros de fora, os japoneses mal educados também são convidados a se retirarem.

Em 2017 o santuário Yatsushirogu em Yatsushiro, Kumamoto deixou de receber turistas estrangeiros por causa do enorme fluxo vindos de navios de cruzeiro durante feriados.

De acordo com o sacerdote Masataka Takehara, a presença massiva de estrangeiros desencorajam fiéis e japoneses que gostariam de prestar alguma homenagem aos ancestrais ou aos kami.

Santuário Watatsumi

Toori

Os problemas vivenciados no santuário Watatsumi são bem parecidos com os do templo Nanzoin. Eram aproximadamente 20 a 30 ônibus de excursão diariamente.

Além da depredação de nomes escritos nas placas dos talismãs, linguagem imprópria, falta de polidez as regras de etiqueta e agressividade.

De acordo com Negitama, um guia turístico sul coreano chegou a ameaçá-lo de morte após o sacerdote pedir para que o guia conversasse com os turistas sobre seus comportamentos.

Leia também

Relações deterioradas

Bandeiras do Japão e Coreia do Sul

Ao longo de 2019 uma série de batalhas judiciais e comerciais aconteceram entre Coreia do Sul e Japão por reivindicações sul coreanas por compensações de guerra e do período de ocupação do Japão.

Essas questões ainda não foram resolvidas e a animosidade entre os países vizinhos (inclusive entre as próprias sociedades) ainda está alta.

O turismo de sul coreanos no Japão caiu drasticamente, além disso, alguns produtos japoneses de cervejas chegaram à exportação zero na Coreia do Sul.

Isso pode explicar a relação hostil entre os sul coreanos e o santuário Watatsumi e o fato de a região ser alvo de disputa entre os dois países.

No entanto, ainda pode ser possível visitar locais que proíbem turistas estrangeiros por mau comportamento, ao menos em templos e santuários.

A proibição em Watatsumi ainda não é oficial e, talvez, não se estenda a todos os estrangeiros. No templo Nanzoin, por exemplo, turistas estrangeiros ainda são aceitos no local.

Pequenos grupos de visitantes estrangeiros não são um problema para esses locais, pois as pessoas tendem a se comportarem de maneira mais civilizada do que em grupos grandes.

Então, apesar dos mau educados do mundo afora, os locais sagrados costumam abrir suas portas a todos os interessados.

Santuário Watatsume
Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link