Literatura japonesa: confira 3 livros imperdíveis de autores conhecidos!

Gosta do Japão, mas não conhece nada de literatura japonesa? Confira essas 3 indicações imperdíveis e entenda um pouco mais sobre a cultura e o modo de pensar dos japoneses.

Caçando Carneiros – Haruki Murakami

Você já deve ter ouvido falar de Haruki Murakami. Atualmente é o autor japonês mais popular no mundo, tendo sido indicado algumas vezes para o Prêmio Nobel de Literatura.

Seu universo é muito particular e alguns se assustam com o tamanho das obras e a grande quantidade de personagens que aparece em alguns romances.

Com muitos livros publicados no Brasil, fica difícil escolher um para começar, principalmente se você não tem noção alguma de literatura japonesa, não é?

Uma ótima pedida neste caso seria o romance “Caçando Carneiros”. Romance relativamente curto, com trama bem desenvolvida, mas não tão complexo quanto outros livros do autor.

Publicado pela primeira vez em 1982, trata-se, como a maioria dos romances de Murakami, de uma história sobre o “eu” (Boku). É comum que seus protagonistas não tenham o nome revelado.

Em Caçando Carneiros não só o protagonista não é nomeado, como todos os outros são referidos por seus apelidos, pronomes ou característica marcantes (exemplo: Chefe, homem do terno preto, ela, homem-carneiro, etc.). Curiosamente, apenas o gato do protagonista ganha um nome ao longo da narrativa: Sardinha.

Do que se trata a história?

A exemplo de outros livros do autor, existe algo a ser encontrado, uma resposta para uma questão, uma pessoa, enfim, algo.

Neste caso, o protagonista precisa encontrar um carneiro especial a mando de um misterioso homem que um dia aparece em seu trabalho, o homem do terno preto, braço direito do Chefe, que por sua vez é uma importante figura da direita, detentor de um poder capaz de governar todo o Japão de forma indireta, por meio da compra de todo um partido político e de parte da oposição, e do controle total da imprensa.

Desta forma, sem ter por onde fugir e com nada a perder, resta ao protagonista fazer o que lhe é incumbido. Assim, com a ajuda da namorada, que possui uma intuição excepcionalmente apurada, sai em busca deste carneiro especial, tendo como única pista a foto de uma montanha localizada na extensa e fria província de Hokkaido na qual o misterioso carneiro aparece.


Leia também


Natsume Souseki na nota de 1000 ienes

Coração (Kokoro) – Natsume Souseki

E Natsume Souseki, já ouviu falar? Considerado o grande autor nacional do Japão pelos japoneses, já tendo até mesmo estampado a nota de 1.000 ienes, Natsume Souseki é um grande nome da literatura moderna japonesa.

Kokoro (como é mais conhecido) é o último e também mais famoso e respeitado romance de Souseki. Publicado pela primeira vez em 1914, é uma leitura imperdível para qualquer fã de cultura japonesa.

Conflito Ocidente x Oriente

O romance passa-se durante o Período Meiji (1867-1912) e tal qual a época turbulenta de mudanças e do conflito Ocidente x Oriente, temos personagens que também passam por conflitos correspondentes: o individualismo, inspirado pelo Ocidente, e o coletivismo, tão característico da cultura japonesa.

Assim como a sugestão anterior, as personagens não tem nome. A história é narrada pelo Eu e explora o interesse crescente que desenvolve pela personagem do Professor.

Ao longo da trama vai-se revelando o passado do Professor, sua relação com a atualmente esposa e o amigo K, que à moda dos romances russos, é referido apenas por sua inicial. A trama é bastante simples, mas esconde uma complexidade ímpar na psiquê das personagens,

O romance pode causar ojeriza e revolta em alguns, mas lembre-se: trata-se de um romance do início do século XX, o mundo era essencialmente diferente do atual, e passa-se em uma cultura muito diferente da nossa. Nele você não vai encontrar o Japão bonitinho e fofo dos doramas e mangás. Trata-se de um romance maduro. E um clássico da literatura japonesa.

Em louvor da sombra – Jun’Ichiro Tanizaki

E para não ficar apenas nos romances, trago aqui uma sugestão de um ensaio:

Em “Em louvor da sombra”, Jun’Ichiro Tanizaki, outro grande nome da literatura moderna japonesa, fala de sua paixão pela estética japonesa, a qual valoriza a sombra em contraste com a luz.

Trata-se de um ótimo livro para quem quer saber mais sobre a estética clássica do Japão. Escrito em 1933, quando Tanizaki, depois de se mudar para a região de Kyoto devido ao grande terremoto de Kanto, ocorrido em 1923, passa a apreciar e valorizar a cultura tradicional do Japão.

No ensaio discorre sobre teatro, culinária, arquitetura, decoração, vestuário, etc., refletindo sobre como a penumbra, a sombra, é um elemento importantíssimo na estética do belo para o japonês.

Quer mais indicações de literatura japonesa?

Deixe nos comentários sugestões, quem sabe não fazemos uma parte 2!?

Conte também suas impressões caso tenha lido algum dos livros. Mas lembre-se: sem spoilers!

Imagem de capa: Google (na ordem: Tanizaki, Murakami, Souseki)

Comentários

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link