Ilustrações ukiyo-e do século XIX mostram as funções do corpo humano

Ukiyo-e, ou “imagens do mundo flutuante”, eram impressões em xilogravura que se tornaram muito populares no Japão do século XVII-XIX. Os diversos assuntos variaram de cenas de viagem e paisagens a flora, erotismo e até impressões médicas.

E para um grupo seleto de artistas parece que ser só mais um não basta: eles também precisam estar imersos no funcionamento interno do corpo humano. Assim, criaram uma série de representações anatômicas personificadas de funções corporais internas, baseadas no conceito anatomofisiológico sino-japonês de digestão.

A ilustração Inshoku Yojo Kagami (“Espelho da Fisiologia de Beber e Comer”) mostra um homem sentado na frente de uma refeição e bebendo saquê. O título às vezes é traduzido como “Regras da Vida Dietética” e foi criado por Utagawa Kunisada (1786-1865), um dos mais importantes artistas de Ukiyo-e do século XIX.

Inshoku Yojo Kagami (飲食 養生 鑑) por Utagawa Kunisada. Final do século XIX

Dentro do tronco do homem pequenas figuras dirigem os órgãos e indicam os diferentes estágios do sistema digestivo. As últimas figuras na parte inferior estão protegendo a porta da urina (小便門) e a porta das fezes (大便門). O texto inteiro está escrito em japonês antigo e pode ser difícil de entender, mesmo para um leitor experiente de japonês. Mas um catalogador da Sothebys explica:

a vesícula biliar assume a função de um inspetor que controla as condições de todo o corpo. Depois que o suprimento de comida é processado, ele é transportado para o baço que, paradoxalmente, está localizado no lado superior direito do abdômen. O coração está participando do “processo de queima”. No centro do coração, um samurai estudioso está presidindo o processo da vida com duas pilhas de livros à sua frente.


Leia também:


Em contrapartida, a gravura irmã é Boji Yojo Kagami (“Regras da Vida Sexual”) e provavelmente foi feita por um dos alunos de Kunisada. Retrata uma mulher de vestido elaborado e colorido, fumando uma piteira. Semelhante à sua contraparte, a gravura personifica os vários órgãos internos, mas com ênfase nos necessários para o parto, como o útero. Juntas, as impressões deveriam ser declarações de advertência de que comer demais, beber e fazer sexo levaria a doenças.

Boji Yojo Kagami (房事 養生 鑑). Artista: aluno desconhecido da escola de Kunisada

O site de artes Hyperallergic ressalta que há uma extensa coleção de impressões digitais em xilogravura japonesa na USCSF Library, onde muitas delas foram localizadas.

“Costas e abdômen, jogos infantis” (Senaka ni hara kodomo asobi) de um artista desconhecido. Final do século XIX
Kinrai ryūkō kabuki uwasa Kenbutsu no hara (Funções corporais internas dramatizadas por atores populares de kabuki) por um artista desconhecido. Final do século XIX

 

Fonte: Spoon&Tamago

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link