Templo Zojoji: um templo de 600 anos ao lado da Torre de Tóquio

Conheça mais sobre o Zojo-ji, um dos templos mais tradicionais e antigos da capital japonesa.

História do Templo Zojoji

O templo Zojo-ji foi fundado em 1393 como um templo para a seita budista Jodo da região de Kanto. Sua localização original era no atual distrito Chiyoda (atualmente onde fica a estação de Tóquio e o Santuário Yasukuni), embora agora esteja em Minato, logo abaixo da Torre de Tóquio.

Desde o seu início e durante o Período Combatente (por volta de 1467 – 1568), o Templo Zojoji serviu como templo principal para a seita Jodo no Japão oriental.

Décadas mais tarde, o shogun Tokugawa Ieyasu começou a reivindicar e controlar terras na região de Kanto, reivindicando o Templo Zojoji como o templo de sua família. O Templo Zojoji mudou para seu local atual em 1598, e expandiu tremendamente sua escala – haviam 48 templos menores e 150 escolas de gramática, com 3.000 sacerdotes vivendo no local.

Enquanto o governo Tokugawa desmoronava no final do século 19, o mesmo acontecia com o Templo Zojoji, com o novo governo confiscando as terras.

Mais tarde, grandes incêndios destruiriam edifícios, como o salão principal. Em 1875, com a ajuda do principal templo da seita Jodo em Kyoto, a reconstrução do Zojoji começou e durou vários anos.

Por dentro do Templo Zojoji

Sangedatsumon

O primeiro portão vermelho notavelmente grande que você vê ao entrar no Templo Zojoji é o Sangedatsumon. Construído em 1622, Sangedatsumon é um dos edifícios mais famosos do Templo Zojoji.

Sangedatsumon significa “o portão onde alguém pode ser libertado dos três estados terrenos: ganância, raiva e estupidez”. Este é um dos únicos dois edifícios que sobreviveram aos ataques aéreos de Tóquio durante a Segunda Guerra Mundial.

Shorodo

O Shorodo, construído em 1633 abriga um grande sino. O sino costumava ser um dos maiores do leste do Japão e, durante o período Edo, era usado para sinalizar as horas. O sino desempenhou um papel importante na vida dos edoitas, e muitos haicais também foram escritos nele.

Daiden

Continue reto ao passar pelo Sangedatsumon e Shorodo, e você verá o Daiden, ou o Salão Principal. Ao subir a escadas para o salão principal, você verá uma estátua do Buda Amida consagrada dentro. O salão principal que vemos hoje foi construído em 1974. O antigo foi incendiado na Segunda Guerra Mundial.

Ankokuden

Construído em 1972, este prédio já foi o Salão Principal temporário e agora é chamado de Ankokuden. É o lar da estátua do Buda Amida Negro, que era profundamente adorado por Tokugawa Ieyasu. Diz-se que ele protegeu esta estátua através de catástrofes, e ele credita suas vitórias na guerra a esta estátua do Buda Amida Negro.

Além disso, a estátua está disponível para exibição pública 3 dias por ano: nos dias 15 de janeiro, maio e setembro. A exibição é a partir das 09h. Às 15h, com um sermão budista a partir das 13h e uma reunião de oração a partir das 14h. Os amuletos do Buda Amida Negro exclusivos são vendidos de 5.000 ienes a 20.000 ienes.

Tokugawa Mausoleum

Zojoji contempla seis shoguns Tokugawa – o segundo (Hidetada), o sexto (Ietsugu), o nono (Ieshige), o décimo segundo (Ieyoshi)e o décimo quarto (Iemochi).

Embora o mausoléu original em si tenha sido destruído durante a guerra, os restos mortais dos shoguns foram enterrados tão profundamente no solo que eles saíram ilesos. A taxa de entrada no Mausoléu é de 700 ienes e o horário de funcionamento é das 10h às 16h.

Dica: se você está planejando visitar o Mausoléu e a exposição do tesouro, pode comprar um ingresso combinado por 1.000 ienes.

Kuromon

Adjacente ao Kyozo está o Kuromon, que é um dos dois edifícios que sobreviveram ao ataque aéreo de Tóquio de 1954. O Kuromon é um portão construído pelo terceiro shogun, Iemitsu, em algum momento entre 1648 e 1652.

Embora não seja tão extravagante quanto os outros edifícios, você pode sentir a antiguidade deste portão através de seus pilares de madeira escura e o telhado das telhas kawara em estilo japonês.


Leia mais:


Kyozo

O Kyozo fica em frente ao Shorodo. Foi construído em 1800 e serve como depósito de tesouros nacionais. Durante seu governo, Tokugawa trouxe xilogravuras chinesas e coreanas para armazenar no Kyozo, e esses itens raros ainda são mantidos no local.

 

Fonte: http://thegate12.com

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link