Comidas japonesas da Vila Olímpica para os atletas manterem a forma

As comidas japonesas da vila Olímpica foram cuidadosamente pensadas para que os atletas possam experimentar a culinária do país sem ter de sair de suas restrições alimentares.

Afinal de contas, como se sabe, a vida de atleta não é nada fácil. Eles precisam passar por muitas privações para terem uma performance excelente e conquistar a tão sonhada medalha. E, uma dessas privações, está na comida e na bebida.

Além disso, os atletas estão praticamente presos na vila olímpica por conta dos protocolos do coronavírus.

Assim, veja aqui um pouco mais sobre como o Japão está tentando lidar com essa situação e ainda assim proporcionar um pouco da culinária do país aos atletas.

Comidas japonesas da Vila Olímpica

Com suas atividades fora das instalações de competição severamente restritas pelos protocolos do coronavírus, os atletas olímpicos e paraolímpicos terão poucas chances de aproveitar os pontos turísticos de sua cidade-sede. Mas os organizadores se certificaram de que, pelo menos, sentirão o gostinho.

Proibidos de comer livremente em restaurantes ou bares, o encontro culinário dos atletas com o Japão acontecerá quase que exclusivamente na área de refeições casuais da vila dos atletas em Tóquio.

Embora o peixe cru não esteja disponível para garantir a segurança alimentar, uma variedade de alimentos japoneses, tradicionais e populares, incluindo macarrão rámen e udon, bolinhos de arroz, tempurá e okonomiyaki estão no menu.

O vilarejo no distrito de Harumi, à beira-mar, em Tóquio, com um refeitório principal separado 24 horas com cozinhas de todo o mundo, além de clínicas e instalações para relaxamento, foi inaugurado formalmente em 13 de julho, 10 dias antes da cerimônia de abertura das Olimpíadas.

A área de jantar casual com capacidade para cerca de 280 pessoas durante as Olimpíadas e 250 durante os Jogos Paraolímpicos, é capaz de fornecer até 3.000 refeições por dia.

Ingredientes de Tóquio, bem como das três prefeituras do nordeste de Fukushima, Iwate e Miyagi, que foram severamente atingidas pelo grande terremoto e tsunami de 2011, serão usados ​​em pratos todos os dias.

Mas todas as 47 prefeituras contribuíram com algo para o menu.

Manter a forma com as comidas japonesas da Vila Olímpica

Apesar de ser uma verdadeira tentação ter todas essas comidas disponíveis, o Japão pensou na saúde dos atletas.

Para dar a eles uma noção mais da cultura culinária por trás dos itens do menu japonês, tablets foram instalados na área de jantar casual com fotos e apresentações das localidades que produziram os ingredientes usados ​​no dia em questão.

No caso dos ingredientes de Fukushima, que sofreu um colapso nuclear no desastre de 2011, serão fornecidas informações para promover a segurança dos produtos da prefeitura.

Ao oferecer uma ampla variedade de pratos japoneses, os organizadores esperam estimular a conscientização sobre a variedade da culinária japonesa, que foi inscrita pela UNESCO como patrimônio cultural imaterial da humanidade em 2013.

Fonte: Mainichi.JP.

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link