4 leis de trânsito no Japão que todos já quebraram (ao menos uma)

Quem vive ou já viveu no nihon sabe que além da educação típica da sociedade, as leis do país são bem severas e o sistema judiciário ainda mais. As leis de trânsito no Japão, por exemplo, punem veículos de grande porte a um pedestre que não utilize a faixa para atravessar a rua ou que não respeite a sinalização.

Embora o estado japonês não seja totalitário e seja impossível controlar todas as pessoas e veículos que transitam em um pequeno país de 122 milhões de pessoas, infratores são tratados com o peso máximo da justiça.

Nessas situações pagar por uma multa pesada ou fiança é motivo de alegria e comemoração, afinal, além do sistema penal japonês ser extremamente rígido, o estado não faz distinção de periculosidade de sua população carcerária.

Confira quatro leis de trânsito no Japão que provavelmente todos já quebraram (estrangeiros e japoneses).

1. Celular + volante

Olhando celular ao volante

Desde a introdução dos smartphones e do mundo dos aplicativos a vida humana não foi mais a mesma.

Eles estão em todos os lugares e há um mar de pessoas de olho nesses pequenos dispositivos eletrônicos onde quer que esteja e pelos mais variados motivos.

Apesar de dirigir falando ao celular seja uma infração de trânsito em praticamente todos os países do mundo, no Japão pode ser considerado como uma ofensa criminal.

Multa

O simples fato de olhar para o celular mesmo para o GPS dá uma multa de 18 mil ienes JP¥ 18 mil (R$ 706,14*) e seis pontos. O que dá uma suspensão automática de um a seis meses da licença para dirigir.

Caso seja considerada como um perigo para o trânsito e julgado como uma ofensa criminal, a multa salta para JP¥ 300 mil (R$ 11.769,00*) ou uma temporada na prisão.

Dados

Dados oficiais da polícia japonesa revelou que em 2019 mais de 840 mil casos de uso de smartphones ao volante foram identificados pelos agentes de segurança pública.

Além disso, o uso de dispositivos móveis por motoristas causou mais de 2200 acidentes com 30 vítimas fatais.

2. Bicicletas na calçada

Ok, essa é uma lei de trânsito no Japão pouco respeitada, tanto por japoneses, quanto por imigrantes especialmente nas grandes cidades do país.

Porém, a lei determina que andar de bicicleta em calçadas só é permitido a crianças de até 13 anos, adultos acima de 70 anos ou pessoas com mobilidade reduzida.

Normalmente essa é uma regra que, na pior das hipóteses, o ciclista receberá uma advertência verbal. No entanto, ele poderá ser multado caso esteja carregando alguém na garupa.

Multa

Nesse caso a multa é de JP¥ 20 mil (R$ 784,60*). Mas, se o ciclista estiver utilizando smartphone enquanto pedala ou segurando um guarda-chuvas a multa pode saltar para JP¥ 50 mil (R$ 1.961,50*).

Esse valor também pode ser aplicado em caso de bicicletas sem iluminação durante a noite ou por utilizar fones de ouvido enquanto pedala.

É menos incomum do que multas de trânsito para carros, mas as bicicletas são consideradas como veículos leves. Portanto, mesmo que a incidência seja menor, ela existe.

Dados

Além disso, um relatório apresentado pela Agência Nacional de Polícia, entre 2014 e 2018, relatou que 5776 crianças foram gravemente feridas ou morreram em acidentes de trânsito e 34% estavam andando de bicicleta.

3. Pedalar embriagado

Homem caído ao lado da bicicleta

Não é preciso dizer que dirigir qualquer tipo de veículo embriagado, além de ser um crime é uma grande irresponsabilidade com própria vida e principalmente com a de terceiros.

No Brasil é possível ver algumas pessoas “bem aventuradas” nas ruas das cidades, especialmente no interior do país voltando para casa pedalando depois de uma noite de bebedeira.

No Japão isso é menos comum e essa lei de trânsito no Japão é mais respeitada entre os cidadãos. É normal encontrar pessoas embriagadas após o expediente de trabalho, mas pedalando não.

Multa

Talvez, além do bom senso, pedalar embriagado no Japão dá multa de JP¥ 1 milhão (R$ 39.230,00*) e cinco anos de reclusão. Vale lembrar que bicicletas são considerados veículos leves no Japão.

Leia também

4. Atravessar a rua sem que o sinal esteja aberto

Pessoa atravessando a rua

Embora essa prática seja realizada indiscriminadamente por muitos japoneses e estrangeiros, atravessar a rua sem que o sinal para pedestre esteja aberto é contra as leis de trânsito no Japão.

Multa

Dificilmente alguém será multado por isso, mas, dependendo do humor do oficial, o infrator pode pagar JP¥ 50 mil (R$ 1.961,50*) e tirar férias de três meses no sistema prisional japonês.

*Valores convertidos no dia 08/02/20 pelo aplicativo do Banco Central. Valores sujeitos a alteração de acordo com as mudanças da taxa de câmbio.

Comentários

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link