Revender máscaras no Japão virará crime com pena de 5 anos

O governo japonês decidiu tomar medidas preventivas para que as pessoas não tirem vantagem em revender máscaras a preços exorbitantes. A medida será feita para que não haja falta do produto no país também.

Em momentos de crise, certos tipos de produtos acabam se tornando disputadíssimos. É comum ver pessoas aproveitando a alta demanda para comprá-los e poder revender a preços altos.

Máscaras sendo vendidas no Japão

No entanto, no caso do surto de Covid-19, alguns itens se tornam essenciais a exemplo das máscaras descartáveis e outros itens de necessidade.

Limite

Segundo reportagem do Kyodo News de fevereiro, as farmácias já estavam limitando a compra de dois pacotes por pessoa para evitar a revenda de máscaras no Japão.

Já a lei é antiga e visa evitar as especulações em torno desses produtos liderados pelo pânico.

No país já houveram casos de roubos de máscaras de hospitais e até brigas físicas. Isso não quer dizer que a população ficará sem o item. O ministro da saúde, trabalho e bem-estar encomendou máscaras para distribuição gratuita em pontos de risco.

Com a lei, o governo japonês tem autoridade para banir a revenda de máscaras e entrará em vigor ainda esta semana.

Multa e pena

O risco de descuprimento é uma multa de 3 milhões de ienes ou cinco anos de prisão ou mais. Não existe nenhuma penalidade para quem comprar.

Segundo o Mainichi, a decisão foi divulgada no dia 5 de março e ainda aguarda aprovação do primeiro-ministro Shinzo Abe.

A lei foi criada em 1973 devido a crise de óleo que levou a população as ruas a procura de itens básicos e acabou afetando a disponibilidade de papel higiênico e gás.

Preços estáveis

Além disso, o governo planeja medidas para que os fabricantes de máscaras mantenham os preços estáveis.

Leia também

Revenda de máscaras no Japão
Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link