Kurashiki, em Okayama, e sua história com o algodão

Kurashiki é um destino turístico popular na província de Okayama. Originalmente uma vila construída em terra recuperada do mar, mas suas plantações de arroz não se deram bem por ali. Então, eles experimentaram o algodão, o que provou ser uma jogada fortuita. Essas bolas fofas, de alta qualidade, também criaram uma indústria artesanal de sucesso que floresceu e fez com que Kurashiki se tornasse um elo de trânsito fundamental do comércio de algodão de 1573 a 1600.

O algodão salvou novamente o dia de Kurashiki alguns séculos depois. A cidade lutou no século XIX para gerenciar as grandes mudanças provocadas pela industrialização, junto com altos impostos, inundações e epidemias. Alguns intrépidos habitantes da cidade perseveraram em obter apoio financeiro da família Ohara. Assim, junto com o investimento dos residentes da cidade, a Kurashiki Cotton Spinning Company foi construída em 1888. A fábrica, chamada Kurabo, aumentou então a reputação de Kurashiki em relação ao algodão de boa qualidade. Hoje, Kurashiki é então a maior produtora japonesa de produtos têxteis e de tecido de qualidade superior.

Muitos edifícios históricos foram construídos durante esses dois períodos, quando o algodão foi especialmente significativo para a sobrevivência e o sucesso da cidade. Eles estão localizados no centro da cidade, o bairro histórico de Bikan. Desde os tempos em que se consolidou como um importante porto de algodão no século XVII, podemos ver os armazéns conhecidos como kura (palavra japonesa para armazém) que deram o nome a Kurashiki. Eles ostentam paredes de pedra branca ou gesso com azulejos pretos que podem cobrir uma parede inteira da cabeça aos pés.

Paredes de azulejo

Leia também


Além disso, alguns prédios também têm paredes de tábuas de madeira que parecem levemente queimadas ou mesmo com aparência de mofo. Na verdade, este é um método tradicional deliberado de proteção e preservação da madeira, conhecido como yakisugi. É um processo arriscado em que é necessário carbonizar a superfície da madeira da maneira certa, para não iniciar um incêndio.

Paredes yakisugi

Complementando essa arquitetura tradicional, há mansões de estilo europeu que acomodam e refletem a modernização de Kurashiki no século XIX. Alguns deles, como o Banco Chugoku, ainda são operacionais, enquanto um deles agora é o Posto de Informações Turísticas. Muitos também são os museus e galerias, os bens culturais que vêm com a riqueza. As mesmas lâmpadas a gás de estilo vitoriano daquela época ainda estão em uso.

 

 

 

Banco Chugoku

Os grandes nomes em Bikan são o Museu Ohara e a Ivy Square. O Museu foi construído em 1930 por Ohara Magosaburo, o magnata do algodão que patrocinou a primeira fábrica de algodão. É opulento e grandioso, ostentando obras-primas japonesas e europeias com um nu greco bastante surpreendente como seu frontispício.

Museu Ohara

Já Ivy Square foi construída originalmente em 1973 com base na primeira fábrica de algodão e em um depósito. Foi construído para abrigar o Kurabo Memorial Hall, que detalha a história do algodão de Kurashiki. Mas seu significado agora parece obscurecido por um hotel silencioso e luxuoso, restaurantes chiques e lojas elegantes.

Ivy Square

Como chegar

A estação Kurashiki fica a 15 minutos da estação Okayama na linha Sanyo. Pegue então a saída sul para Bikan.

Fonte: JapanTravel

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link