Mottainai: a culpa pelo desperdício no Japão é uma das virtudes que faz o país crescer

A palavra も っ た い な い – mottainai é um adjetivo japonês que descreve como é lamentável que algo seja desperdiçado. Expressa um sentimento de culpa, arrependimento ou tristeza pelo ato de desperdiçar. O sentimento ligado à palavra está profundamente arraigado na cultura e nas formas de pensar japonesas.

Conheça aqui mais sobre essa cultura e como ela é importante para que o Japão consiga crescer e manter seus índices de desenvolvimento.

Evitar o desperdício no Japão: a origem do mottainai

Muitos dizem que a ideia de mottainai, ou a virtude de não desperdiçar, está enraizada no Xintoísmo no Japão. Um dos ensinamentos do Xintoísmo, o animismo, é a crença de que tudo (mesmo as coisas não vivas) contém um espírito. Se você já assistiu ao filme do Studio Ghibli, A viagem de Chihiro, que contém elementos do xintoísmo, deve se lembrar dos diferentes tipos de espíritos envolvidos – os espíritos de galinha, o espírito do rio e até mesmo um espírito de rabanete daikon.

A existência de espíritos inspirou parcialmente a ideia de mottanai. Isso porque não valorizar ou não aproveitar ao máximo as coisas é um desrespeito aos espíritos.

O significado do desperdício no Japão

Desperdiçar, em termos de mottainai, é não permitir que algo alcance seu potencial máximo. Então, basicamente, mottainai expressa arrependimento, culpa ou tristeza por algo que não atingiu seu potencial total. E, muitas vezes, implica um desejo de tirar o máximo proveito de seu futuro.

Portanto, embora a situação mais comum para você dizer ou sentir mottainai seja quando algo é jogado fora, isso pode ser usado para muitos outros tipos de desperdício, como perda de potencial, tempo e oportunidade. E às vezes, pode até ser usado como uma forma de se humilhar. Agora, vamos dar uma olhada mais de perto nos diferentes tipos de resíduos que podem ser mottainai.

O uso mais icônico do mottainai é para desperdiçar coisas físicas – não terminar a comida em seu prato ou jogar fora roupas, móveis e similares ainda utilizáveis. Na verdade, esse aspecto de mottainai atraiu a atenção global quando Wangari Muta Maathai, uma ganhadora do Prêmio Nobel da Paz e ativista ambiental queniana, colocou os holofotes em mottainai. Ela reconheceu que era a única ideia de uma única palavra que pode incorporar os três Rs – Reduzir, Reutilizar, Reciclar – e até mesmo um R de bônus – “Respeito”.


Leia também:


Evitando o desperdício no Japão e aplicando o mottainai no dia a dia

Quando você se sente mottainai sobre algo, geralmente permite que você tenha um momento para refletir sobre o que fez e como pode evitar que o desperdício aconteça na próxima vez.

Por exemplo, ao ver as bananas estragar, você pode pensar que é melhor comprar em menores quantidades. Prevenir o desperdício é bom, mas como o mottainai é usado quando algo não atinge todo o seu potencial, isso pode fazer com que você seja mais criativo.

Você pode pensar em uma maneira diferente de parar de criar mais resíduos no futuro, como dar ao item um propósito diferente. Sua banana pode ter ficado um pouco velha, mas você ainda pode encontrar algum potencial nela. Assim, por exemplo, pode tentar fazer um doce com ela.

São essas pequenas práticas que tornam o Japão um país com pouco desperdício e que ajuda até mesmo nas economias familiares.

Fonte: Tofugu.

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link