Conheça os profissionais do sexo no Japão que levam mulheres para o exterior

No Japão, existe uma ocupação conhecida como “Corretor para Profissionais do Sexo no Exterior”. E, atualmente, houve um aumento da aumento da demanda por esse tipo de profissional. Assim, s meninas japonesas tendem a procurar esses corretores e irem para o exterior para tentarem fazer algum dinheiro.

De acordo com o jornal Japan Today que entrevistou um desses corretores, mais garotas que estavam ganhando a vida com Papa-katsu (sendo apoiadas por um patrono masculino mais velho), ou aquelas que trabalhavam no comércio sexual, têm ido para o exterior trabalhar.

Os profissionais do sexo no Japão

De acordo com um corretor de profissionais do sexo, a tendência de as mulheres se envolverem nessa profissão fora do Japão aumentou há cerca de quatro a cinco anos, mas a pandemia de coronavírus acelerou ainda mais essa tendência.

No caso de trabalhar na China e em outros países asiáticos, os viajantes devem ficar em quarentena por 14 dias ou mais. Mas para os EUA, se alguém puder fornecer evidências de teste negativo para um teste de PCR, a entrada é mais fácil.

De acordo com o profissional entrevistado pelo Japan Today, nos últimos 20 anos, os preços comandados pelas empresas sexuais foram atingidos pela deflação, o que significa que as meninas têm que trabalhar cada vez mais para atender às cotas esperadas, ou então enfrentar cortes salariais.

Outra razão é que, em comparação com os clientes em países asiáticos, os dos EUA não dão prioridade à atratividade física.

Exceto Nevada, a prostituição é ilegal em outros estados dos EUA, mas os corretores não têm dificuldade em organizar suas alas para trabalhar nas principais cidades da costa leste e oeste, como Nova York, Washington e Los Angeles.


Leia também:


Como são as operações para do profissionais do sexo no Japão

Dependendo da duração do serviço prestado, de 30 a 120 minutos, diz-se que a remuneração das meninas varia de US$ 140 a US$200. Além disso, outros serviços estão disponíveis para um gasto adicional.

Em um bom dia, a mulher pode atender entre seis a 10 homens.

Em termos de aparências, garotas com “rostos de estilo chinês”, com narizes com uma ponte alta, são ditas em alta demanda. De acordo com o entrevistado, os tipos fofos de Lolita não são populares. A idade varia de 21, a idade de consentimento (mas pode diferir em alguns estados dos EUA) a cerca de 35 anos. É claro que quanto mais jovem sua aparência, menos condições. Há até mesmo mulheres na casa dos 50 anos que já prestaram serviços.

No entanto, nem todas as profissionais do sexo são apaixonadas pelos EUA. Por conta disso, há aquelas que buscam outros destinos: Macau, Dubai e Austrália.

Assim, por mais que muitas pessoas não saibam, esse tipo de profissão movimenta muito dinheiro no Japão e tornou-se uma possibilidade para várias mulheres.

Fonte: Japan Today.

Receba GRÁTIS notícias do Japão