Vídeo revela imigrante no Japão sendo espancado no centro de imigração

Um imigrante no Japão foi torturado no centro de imigração. Infelizmente, essa não é uma notícia nova, é algo que vêm sendo constantemente denunciado no país e que já levou a morte uma outra imigrante.

Saiba mais sobre o ocorrido e como está o julgamento para indenizar a vítima.

Imigrante no Japão espancado

Um homem nipo-peruano que buscava indenização estatal por maus tratos no departamento de imigração de Osaka em 2017 teve um vídeo revelado sendo agredido. O vídeo o mostrava sendo detido com a cara para baixo por vários policiais em uma filmagem de câmera de segurança, disse um advogado encarregado de seu caso.

No caso apresentado ao Tribunal Distrital de Osaka, Burgos Fujii, 48, está pedindo 2 milhões de ienes em danos do estado depois que ele foi deixado algemado por mais de meio dia no Escritório Regional de Serviços de Imigração de Osaka.

O vídeo inclui imagens de Fujii sendo arrastado para uma cela solitária por muitos policiais, bem como sendo segurado durante brigas com cinco policiais no meio da noite e deitado no chão algemado com os braços atrás das costas.

No vídeo a seguir é possível ver algumas das cenas de espancamento a qual ele foi submetido.


Leia também


O imigrante no Japão e o julgamento

Outra cena mostrou um oficial de imigração intimidando Fujii perguntando se ele estava preparado para seguir suas ordens.

Em uma entrevista coletiva em Osaka, Maya Kawasaki, um de seus advogados, criticou o tratamento como punitivo, acrescentando que poderia ser considerado “tortura”.

Em audiências anteriores, o governo sustentou que nenhuma força excessiva foi usada para conter Fujii. O departamento de imigração de Osaka se recusou a comentar o vídeo devido ao julgamento pendente.

De acordo com a denúncia, Fujii ficou com os braços algemados nas costas por mais de 14 horas no dia 20 de dezembro de 2017, após manifestar insatisfação com o almoço e tornar-se violento. Posteriormente, descobriu-se que ele havia fraturado o braço, e o ferimento demorou um mês para cicatrizar.

Fujii, que foi diagnosticado com câncer de pâncreas depois que foi liberado provisoriamente em maio do ano passado, recebeu permissão especial na segunda-feira para ficar no Japão para tratamento médico.

O vídeo enviado como prova no processo não foi mostrado no tribunal, mas seus advogados divulgaram parte de seu conteúdo após o encerramento do tribunal.

Em um caso separado, o Escritório Regional de Serviços de Imigração de Nagoya divulgou no mês passado imagens editadas de câmeras de segurança para a família de uma mulher do Sri Lanka que morreu em março após maus-tratos durante a detenção.

O tratamento de câncer do imigrante no Japão

O Ministério da Justiça concedeu, em 13 de setembro, permissão especial de residência ao nipo-peruano que sofre de câncer no pâncreas, uma decisão rara que lhe permitiu buscar a cobertura de suas despesas médicas por meio do sistema nacional de seguro saúde.

O doente queria uma cirurgia imediata, mas enquanto estiver em liberdade provisória, ele não pode cobrir seu tratamento médico através do seguro saúde.

Seus tratamentos médicos já custaram a ele cerca de 800.000 ienes (quase R$ 40.000). Devido à sua condição de liberdade provisória, ele não tem permissão para gerar uma renda, nem para obter seguro de saúde, o que significa que ele deve arcar com o peso total de suas despesas médicas.

Sua condição exige uma operação, que deve custar-lhe vários milhões de ienes além de seu outro tratamento. Mas seria um fardo financeiro muito pesado para suportar sozinho.

Quando a condição de Burgos Fujii piorou, o escritório de Osaka enviou o caso para a Agência de Serviços de Imigração, buscando uma resposta rápida por motivos humanitários.

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link