Patrão japonês flagra funcionário escrevendo livro durante o trabalho e toma medida surpreendente

Ter um patrão japonês não é fácil. Além disso, no Japão não é nem mesmo comum que as pessoas possam conciliar dois empregos.

Assim, além de ter de cumprir uma série de regras sociais que demonstram respeito a um patrão, um funcionário japonês deve sempre estar focado exclusivamente em sua tarefa. E isso deve ser para o dia inteiro, mesmo que o seu emprego seja só de meio-período. Caso contrário, será cobrado por isso e poderá até mesmo sofre algum tipo de punição.

Somado a isso, um patrão japonês bravo não é algo simples de lidar. Certamente já deve vir uma crise de choro só de ser chamado para conversar com o chefe sabendo que cometeu algo que não é permitido.

Por conta disso que uma atitude de um chefe recentemente surpreendeu os japoneses. Confira aqui o ocorrido.

Um patrão japonês flagra o funcionário fazendo outras atividades

Na verdade, não foi exatamente um flagra. Pois nesse caso o chefe japonês descobriu somente depois que uma de suas funcionárias estava fazendo outros trabalhos em seu escritório.

Não é incomum que as empresas japonesas proíbam os funcionários de se envolverem em todas as atividades de segundo emprego e, mesmo quando isso não é uma parte formal e explícita de seu contrato de trabalho, muitas vezes é desaprovado .

A usuária japonesa do Twitter Izuka Iwatsuka (@iwatuka1) estava simultaneamente trabalhando em um escritório e tentando se tornar uma autora de novelas leves. E isso realmente veio a acontecer e ela até mesmo recebeu um Prêmio de Realização de Destaque no 10º Prêmio GA Bunko da editora japonesa SB Creative. 

Sim, ganhar o prêmio foi bom, mas em um dia de trabalho logo depois disso, Iwatsuka foi repentinamente informada de que o presidente da empresa queria encontrá-la em seu escritório. Certamente isso lhe causou muito frio na barriga e apreensão.


Leia também


A resposta do patrão japonês

Lutando contra as lágrimas de nervosismo, Iwatsuka entrou no escritório do chefe e descobriu que o chefe havia de fato descoberto sobre Saihate no Mahotsukai e tinha algo a dizer , que era: “Comprei 20 exemplares do seu livro. Por favor, assine para mim. ”

Em vez de ser reprimido e forçado a escolher entre uma linha de trabalho ou outra, o chefe ficou tão feliz com a situação que comprou várias cópias do livro e também esperava por autógrafos.

É uma história comovente e, embora não esteja claro se Iwatsuka ainda tem aquele emprego diurno, a redação do romance leve parece estar indo bem, com um segundo volume de Saihate no Mahotsukai tendo sido lançado, além de um romance separado de Iwatsuka, Zutto Tomodachi de Ite Ne para Itteita Onna Tomodachi ga Tomodachi Janaku Naru Made (“ Até eu deixar de ser amiga da minha amiga que disse ‘vamos ser amigas para sempre’ ”) também à venda.

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link