Feitiços e maldições no Japão são parte do cotidiano no país e possuem vários propósitos

As maldições no Japão fazem parte da cultura e podem ser lançadas a qualquer momento. 

Elas podem ser realizadas com vários objetivos, como para afastar uma pessoa, um vício ou até para amaldiçoar gerações de alguém.

Maldições no Japão: para cortar laços

Uma das maldições mais comuns e mais baratas são as maldições de santuário, que geralmente são realizadas em santuários enkiri (separação, corte de relações), como Fushimi Inari Taisha de Kyoto, Kadota Inari de Ashikaga e Enkiri Enoki de Tóquio. Esses santuários são usados ​​para convocar as divindades consagradas para usar seu poder para ajudar o adorador a cortar laços com (principalmente) pessoas desagradáveis. 

Se você já pensou que poderia parar com os maus hábitos, como álcool, cigarros, drogas ou jogos de azar, ou quisesse que determinada pessoa parasse de aparecer, essa maldição é para você.

Maldições no Japão que duram gerações

Só cortar o vínculo com alguém não é uma maldição tão forte. Para algumas pessoas, isso simplesmente não é suficiente. Em vez disso, eles podem desejar amaldiçoar alguém mesmo após a morte. No Japão, muitas pessoas ainda acreditam em onryou , ou espíritos malévolos chamados de volta do túmulo para manter o rancor, não apenas contra uma pessoa, mas também contra seus ancestrais.

Onryou atraiu a atenção em 2007, quando Shigenaga Tomioka usou a palavra para coagir as pessoas encarregadas dos santuários no Japão a remover sua irmã de seu papel de sacerdotisa chefe e nomear seu filho. No caso de Shigenaga, ele ameaçou os descendentes do povo com uma espécie de maldição chamada tatari, que garante gerações de infortúnios.

Infelizmente, Shigenaga revelou-se tão aterrorizante na carne quanto incapaz de esperar pelo próximo mundo e foi preso por matar sua irmã com uma espada de samurai.


Leia também


Maldições no Japão: boneca pregada na porta

Imagine entrar em sua casa e encontrar uma boneca sua pregada na porta. Conhecidas como wara ningyou, essas bonecas são uma maldição de intimidação. 

Apesar do que a maioria das pessoas acredita, essas efígies nem sempre são negativas, pois podem ser usadas para enganar os espíritos assassinos para que levem a boneca em vez da pessoa real. 

Para fazer uma boneca amaldiçoada, a pessoa ofendida anota o nome da vítima ou pega um pedaço do corpo, geralmente cabelo ou aparas de unha, e coloca dentro da boneca. A ideia é manifestar essa pessoa dentro da boneca e aí quando um prego é enfiado nela, coisas ruins com certeza vão acontecer.

Maldições no Japão e a hora do boi

Um dos momentos mais infames para pregar uma boneca é durante “a hora do boi”, geralmente por volta de 1h00 às 3h00. Esta maldição é conhecida como a “hora da visitação do boi” e é – pelo menos historicamente – um popular maldição para mulheres que estão furiosas com o mau comportamento de seu amante. 

A parceira rejeitada visita o santuário no início da manhã, de preferência usando velas na cabeça, e prega um wara ningyou em uma árvore. O próprio ato é uma afronta tão grande aos espíritos residentes que eles tomam a mais terrível vingança contra o infeliz ex-amante – literalmente trazendo a ira dos deuses sobre eles.

Fonte: Gaijin Pot.

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link