Conheça a síndrome do celibato no Japão e como ela afeta a atual geração de adultos

A síndrome do celibato no Japão é conhecida como sekkusu shinai shokogun. Entretanto, ela não é algo que foi dianosticada por cientistas e pesquisadores, e sim pela mídia.

Ela faz referência à hipótese de que os japonese cada vez mais perdem o interesse em manter relações sexuais, bem como em encontrar um parceiro romântico seja para a vida ou somente para ter um relacionamento.

Dessa maneira, parece que, para alguns, cada vez menos diminui a vontade dos japoneses em namorar e constituir suas família. Mas, de acordo com essa teoria, o que os japoneses colocam no lugar? Por que eles estão perdendo esse interesse?

Conheça mais sobre ela e também sobre as críticas que recebeu.

A síndrome do celibato no Japão

De acordo como site Discovery Japan, a síndrome do celibato foi um termo inventado pela mídia japonesa para descrever a tendência nacional dos jovens se afastarem das relações interpessoais e do sexo.

De acordo com uma pesquisa de 2011 realizada pelo Instituto Nacional Japonês de Pesquisa de População e Previdência Social, 61% dos homens solteiros e 49% das mulheres solteiras de 18 a 34 anos não estavam em nenhum tipo de relacionamento romântico. Uma pesquisa relacionada da Associação de Planejamento Familiar do Japão (JFPA) descobriu que 45% das mulheres de 16 a 24 anos “não estavam interessadas ou desprezavam o contato sexual [com outras pessoas]”.

De acordo com a teoria, o número de pessoas que se dizem dispostas a entrarem em um relacionamento no Japão diminui cada vez mais. Assim, também diminui o número de pessoas que de dizem sexualmente ativas.

Dessa maneiras, esses dados podem até mesmo revelar a preocupação com o futuro da população do país.

Além disso, de acordo com essa teoria de que há celibato no Japão, isso teria acontecido por conta do esfriamento da economia do país nas últimas décadas. Somaria-se a isso também a desigualdade de gênero.


Leia também


As crísticas à hipótese de síndrome do celibato no Japão

A síndrome do celibato no Japão ganhou notoriedade quando os jornais tidos como ocidentais começaram a publicar matérias sobre isso. Entre esses jornais estão o The Guardian e o The Washington Post.

Assim que essas matérias foram publicadas, os influencer e celebridades japonesas reagiram. Afinal de contas, esse tipo de síndrome passa a ideia de que o Japão é um país exótico e assim chamaria a atenção das pessoas para ler a matéria. Portanto, seria algo somente para vender do que tratar da realidade japonesa.

De acordo com o Joshua Keating, o jornal The Guardian teria selecionado somente alguns dados para manipular a realidade do Japão. Keating é um blogueiro e um especialista em política externa.

Além disso, o próprio The Washington post mostrou uma outra realidade com dados que provam o contrário à chamada síndorme do celibato no Japão.

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link