Japão já se prepara para os casos de varíola de macaco que se espalham pelo mundo

A varíola no Japão não foi detectada, ainda. Assim, estima-se que não há nenhum caso no país. Porém, o que vimos é que muitos países já estão tendo relatos da doença.

A varíola no Japão

De acordo com a lei de controle de doenças infecciosas no Japão, os médicos que diagnosticam um paciente com varíola dos macacos são obrigados a denunciá-lo. Entretanto, não houve casos confirmados desde que a coleta de estatísticas começou em 2003.

Para evitar a propagação da varíola dos macacos, caso apareça um primeiro caso no país, o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar, em 20 de maio de 2022, forneceu informações sobre os sintomas da doença aos governos locais e instituições médicas e solicitou que quaisquer casos suspeitos fossem relatados.

Assim como com outras doenças, a melhor maneira de se evitar que essa doença cause inúmeras mortes e vítimas é com a propagação de informações de qualidade.

Dessa maneira, além de monitorar oas casos de varíula tanto pelo mundo, o govenro japonês pretende ter total atenção aos possíveis casos que possam aparecer no país. Assim, a medida de controle somada à informação de qualidade tem sido os principais meios do governo japonês se preparar.


Leia também


A varíola no Japão hoje e a falta de imunização

Diz-se que é eficaz na prevenção da varíola, mas nenhuma vacina contra a varíola foi realizada no Japão desde 1976, e as pessoas nascidas depois disso são consideradas sem imunidade. 

O mesmo acontece em boa parte do mundo. Afinal de contas, acreditou-se que a varíola de macacos tinha sido extinguida, mas agora ela reapareceu e pode fazer inúmeroas vítimas.

Embora a transmissão de pessoa para pessoa seja considerada rara, a infecção pode ocorrer através de gotículas, fluidos corporais ou tocando a área da erupção cutânea.

Na Europa e nos Estados Unidos, a varíola dos macacos foi ocasionalmente encontrada em pessoas que retornavam da África. Segundo a OMS e outras fontes, desde maio, mais de 100 pessoas foram infectadas em países fora da África, incluindo Europa, EUA, Canadá e Austrália, com alguns pacientes sem histórico de viagens ao exterior.

No Reino Unido e na Europa, casos de varíola dos macacos foram confirmados entre homens gays, e acredita-se que a relação sexual seja a via de infecção. Especialistas acreditam que não haverá um grande surto da doença como o COVID-19, mas o governo japonês está apertando a guarda contra isso.

Além disso, o govenro japonês está diante de uma situação em que finalmente começará a abrir as fronteiras para a entrada de turistas. Dessa maneira, é um perigo que pessoas contaminadas cheguem ao país e tenha-se uma transmissão da doença dentro do próprio país. Portanto, é possível afirmar que todo o cuidado que o govenro japonês tem tomado é mais do que necessário para proteger os turistas e a sua população.

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link