Político russo diz: “Primeiro-Ministro japonês deveria cometer seppuku”. O que é isso e por quê é ofensivo?

“O primeiro-ministro japonês deveria cometer seppuku”, essa foi a declaração de um político russo e que deixou todo o Japão ofendido com tal uso do termo.

banner-loja

Suppuku é um ato realizado por um samurai para tirar a sua vida com honra depois de ter passado por alguma vergonha. Isso, por si só, vindo de um político para um primeiro-ministro japonês já é uma grande ofensa. Mas, antes, vamos entender melhor o contexto em que essa declaração foi deita.

O primeiro-ministro japonês e a Rússia

O primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida , se reuniu com o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, na Casa Branca em janeiro de 2023. Entre as inúmeras discussões, uma delas foi a guerra na Ucrânia. Com a agressão militar contínua da Rússia sendo uma questão de grande preocupação tanto para o Japão quanto para os EUA, os dois líderes emitiram uma declaração conjunta condenando a invasão de seu vizinho, que incluía:

“Declaramos inequivocamente que qualquer uso de uma arma nuclear pela Rússia na Ucrânia seria um ato de hostilidade contra a humanidade e injustificável de qualquer forma. E continuaremos a apoiar a Ucrânia diante dos ataques repugnantes da Rússia a infraestruturas críticas”.

Diante de uma declaração como essa, esperava-se algum tipo de resposta russa que pudesse ser um pouco mais agressiva. Mas, mesmo que fosse em um tom agressivo, a expectativa é que seguisse os termos diplomático.

É o tipo de sentimento firme, mas polidamente formulado, que se esperaria de homens envolvidos em questões diplomáticas de alto nível. A resposta do vice-presidente do conselho de segurança russo, Dmitry Medvedev , no entanto, foi muito mais colorida: Kishida deveria se matar.

Especificamente, Medvedev acha que Kishida deveria cometer seppuku, estripando-se ritualmente da maneira praticada pelos samurais durante a era feudal do Japão, cuja vergonha era tão grande que concluíram que nunca poderiam expiar totalmente suas transgressões.

Logo, podemos destacar que para o político russo, qualquer um que condene a guerra na Ucrânia está cometendo um ato vergonhoso. O primeiro-ministro japonês optou, por enquanto, por não comentar as declarações. Além de ser absurda, ela também faz uma leitura simplória do que foram os samurais para a história do Japão e sobre o que era a honra e o ato de cometer o suicídio para esses guerreiros.


Leia também:


A Rússia contra o primeiro-ministro Japonês

“Tremendamente vergonhoso. Não posso nem comentar sobre essa ilusão”, disse Medvedev, que não teve problemas em se contradizer com mais comentários. “A única maneira de [Kishida] lavar sua vergonha é cometer seppuku em uma reunião de gabinete”, afirmou ele, apesar do fato de que o seppuku não é comum há mais de 100 anos no Japão.

“Estou ignorando completamente [a declaração]”, continuou Medvedev, “e nem mesmo pedi desculpas ao presidente americano”, sem expandir se ele também acha que Biden deveria se matar ou por qual método.

Fonte: Sora News.

Receba GRÁTIS notícias do Japão