Anime pré-Osamu Tezuka: a história antes do som e da cor [veja vídeos das animações]

No Brasil, assim como no Ocidente quase inteiro, temos os costume de dizer que a história do anime começa com Osamu Tezuka.

Até certo ponto, podemos identificar as suas animações como o começo, mas somente para um estilo de anime como nós conhecemos agora.

Mas, Tezuka não foi o primeiro das animações no país. Ao contrário, quando ele começou na década de 1960, já havia uma série de obras que eram feitas há praticamente 50 anos.

Entretanto, qualquer um que tente fazer esse resgaste histórico terá grandes dificuldades. Isso ocorre por conta do Grande Terremoto de Kanto que atingiu a região de Tóquio no ano de 1923 e destruiu boa parte dos registros. Outro motivo para essa história ter sido descartada, foi a ocupação americana depois da II Guerra Mundial.

Porém, ainda é possível encontrar alguns registros e alguns deles já foram disponibilizados online! Sendo assim, veja nesse artigo algumas dessas informações sobre a história das animações no Japão e não deixe de assistir a alguns vídeos!

A história do anime e o cinema

O cinema chegou no Japão no ano de 1896, mas ganhou mais força em 1910. Da mesma maneira que chegaram ao país os filmes ocidentais, também chegaram as animações. Assim, começou a florescer no Japão uma cultura visual e as experiências começaram.

Um dos registros mais antigos que podemos encontrar é Katsudo Shashin, que data, provavelmente, de 1907.

O vídeo é rápido e bem simples, sendo somente um menino escrevendo alguns kanji.

Posteriormente que as animações começaram a ser um pouco mais longas. É o caso de Imokawa Mukuzo Genkanban no Maki (A História do Concierge Mukuzo Imokawa) lançado no ano de 1917 e feito por Oten Shimokawa. Entretanto, por conta de sérios problemas de saúde, o cartunista teve de se aposentar logo depois.


Leia também


A década de 1930 e a história do anime

A década de 1910 seguiu florescendo muitas obras. Entretanto, como dito anteriormente, o terremoto de 1923 devastou parte das obras.

A retomada mesmo só iria acontecer entre o final da década de 1920 e início da de 1930.

Um dos exemplos é Doubutsu Orimupikku Taikai, de 1928 e feito por Yasuji Murata . Neste anime era retratado animais fazendo esportes. Outro exemplo do mesmo desenhista foi Kobu Tori e que também teve maior repercussão.

Esta animação impressiona pela sua história e também pelo envolvimento dos personagens.

Entretanto, os aritstas japoneses tinham problemas em exibir suas animações. Afinal de contas, as animações ocidentais dominavam os cinemas no país. Mas, mesmo com essa falta de recursos, eles não desistiram.

Mesmo não conseguindo passar nos cinemas, alguns deles conseguiram ser produzidos por incentivos do Ministério da Educação. Este, financiou algumas animações para que fossem educativas, como no caso de aro-san no Kisha de Yasuji Murata.

Sendo assim, as animações continuaram a ser desenvolvidas. Algumas, posteriormente, teriam forte incentivo do governo para que promovessem o patriotismo. Mas, muito dessa história acabou sendo destruída depois da guerra.

Entretanto, essa é apenas uma pequena parte da imensa história do anime no país.

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link