Conheça a história não contada do rámen!

A história não contada do rámen possui inúmeras passagens que podem te surpreender. Hoje ele é um dos pratos japoneses mais apreciados pelo mundo a fora. Entretanto, nem sempre foi assim. A popularização dessa comida tem a ver tanto coma história do Japão como também com a cultura do país.

Neste artigo, te mostraremos algumas das curiosidades que não costumam a ser muito comentadas a respeito do rámen. Assim, conheça mais sobre esse prato tão delicioso.

A história não contada do rámen: a origem

Apesar de ser um prato hoje conhecido como japonês, ele não foi inventado no país. Antigamente, o seu nome era Chūka soba e Shina soba, que significam basicamente “macarrão chinês”. Mas, apesar do nome indicar essa origem, não existe um prato chinês que seja como o rámen no Japão. Então, a sua história é muito mais longa do que imaginamos.

Segundo o Museu de Rámen de Yokohama, o primeiro japonês a comer o prato foi Tokugawa Mitsukuni, na década de 1660, quando um chinês havia lhe dado a dica de adicionar alguns ingrediente a sua sopa de sobá para ficar mais saborosa.

Entretanto, há outras leituras que identificam que o rámen provavelmente chegou no Japão no século XIX, quando os portos foram abertos.


Leia também:


A popularização do rámen e a sua industrialização

Um dos fatores mais desconhecidos da história não contada do rámen, é que ele nem sempre foi um prato popular. Isso só veio a acontecer entre o final do século XIX e início do XX. Afinal de conta, esta é uma comida que serve para qualquer momento, além de ser muito rápida. E disso que o país precisava, de muita rapidez para acelerar a modernização.

Além disso, o rámen foi uma das primeiras comidas industrializadas do país. Isso aconteceu já no final dos anos 1910. O prato era visto como algo nutritivo, afinal de contas, é feito com muita gordura e om carboidratos e proteínas. Por mais que isso possa soar estranho dos dias de hoje, é preciso lembrar que estamos falando de um momento em que muitas pessoas morriam de fome.

Cada vez mais o rámen tornava-se no Japão um alimento apreciado e que acompanhava o movimento de industrialização do país.

O rámen e a II Guerra Mundial

Como se sabe, a participação do Japão na II Guerra Mundial veio acompanhada de uma extrema pobreza. Assim,os piores anos foram entre 1944 a 1947, quando muitas vezes era preciso comer larvas como uma fonte de proteína.

Entretanto, quando o Japão se rendeu e houve a ocupação dos EUA no país, o trigo começou a ser um produto com mais facilidade se ser encontrado. Por outro lado, era muito difícil encontrar arroz, além de ser muito caro.

Dessa maneira, muitos japoneses consumiam pratos que tinham o trigo como um de seus principais ingredientes, como o rámen, yakisoba, guioza, entre outros.

Assim, para as classes mais altas do Japão, esses tipos de comida eram tidas como de pobres que não tinham dinheiro para comprar arroz.

Essas e tantas outras passagens da história que não é dita sobre o rámen podem ser encontradas no livro The Untold History of Ramen: How Political Crisis in Japan Spawned a Global Food Craze, de George Solt. O livro ainda não tem tradução para o português.

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link