O Buda sorridente ou Hotei no Japão

Quando muitos ocidentais pensam em “Buda”, geralmente não visualizam o Buda da história, meditando ou ensinando. Este “verdadeiro” Buda é conhecido mais comumente como Gautama Buda ou Buda Shakyamuni e quase sempre é retratado em meditação profunda ou contemplação. Aqui vamos falar um pouco sobre o “Buda sorridente ou risonho”

O Buda sorridente

A maioria dos ocidentais pensa em um personagem gordo, careca e alegre chamado “O Buda sorridente” quando pensa no Buda. De onde veio essa figura?

O Buda sorridente surgiu em contos populares chineses do século 10. As histórias originais centram-se em um monge Ch´an chamado Ch´i-t´zu, ou Qieci, de Fenghua, onde hoje é a província de Zhejiang. Era um personagem excêntrico, mas muito querido, que fazia pequenas maravilhas, como prever o tempo.

A história chinesa atribuiu a data de 907-923 EC a vida de Ch´i-t´zu, o que significa que ele viveu consideravelmente mais tarde do que o histórico Shakyamuni, o verdadeiro Buda.

Buda Maitreya

De acordo com a tradição, pouco antes de Ch´i-t´zu morrer, ele se revelou uma encarnação do Buda Maitreya.

Maitreya é citado no Tripitaka como Buda de uma época de fartura. As últimas palavras de Ch´i-t´zu foram:

“Maitreya, verdadeiro Maitreya

Renasceu inúmeras vezes

De vez em quando se manifesta entre os homens

Os homens da época não o reconhecem.”


Leia mais:

Conheça a cidade de Miyazaki

Ijime: o bullying nas escolas japonesas

Burger King do Japão anuncia o “The Fake Burger”


Pu-tai, protetor das crianças

Os contos de Ch´i-t´zu se espalharam por toda China, e ele veio a ser chamado de Pu-Tai (Budai), que significa “saco de cânhamo”. Ele carrega consigo um saco cheio de coisas boas, como doces para crianças, e muitas vezes é retratado com crianças. Pu-Tai representa felicidade, generosidade e riqueza, e ele é um protetor das crianças, bem como dos pobres e fracos.

Hoje, uma estátua de Pu-Tai costuma ser encontrada perto da entrada dos templos budistas chineses. A tradição de esfregar a barriga de Pu-Tai para dar sorte é uma prática popular, mas não um ensinamento budista genuíno. É indicativo da ampla tolerância do budismo com a diversidade que esse Buda sorridente do folclore seja aceito na prática oficial.

Para os budistas, qualquer qualidade que represente a natureza búdica deve ser encorajada, e o folclore desse tipo de Buda sorridente não é considerado nenhum tipo de sacrilégio, embora as pessoas involuntariamente possam confundi-lo com Buda Shakyamuni.

Um mestre iluminado

Pu-Tai também está associado ao último painel das Dez Fotos de pastoreio de bois. Estas são 10 imagens que representam estágios de iluminação no Budismo Ch´an (Zen).

O último painel mostra um mestre iluminado que entra nas cidades e mercados para dar às pessoas comuns as bênçãos da iluminação.

Pu-Tai acompanhou a disseminação do budismo em outras partes da Ásia. No Japão, ele se tornou um dos Sete Deuses da Sorte do xintoísmo, e é chamado de Hotei. Ele também foi incorporado ao taoísmo chinês como uma divindade da abundância.

Fonte: learnreligions.com

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link