Como funciona o vestibular no Japão?

O vestibular no Japão é semelhante ao que acontece no Brasil, mas ele envolve muitas universidades. Os exames acontecem todos os anos e durante um final de semana, tendo provas no sábado e domingo.

Conheça um pouco mais sobre esse exame e quais são as dificuldades que os alunos japoneses acabam passando.

Vestibular no Japão: o antigo Teste do Centro Nacional para Admissão em Universidades e suas transformações

Anteriormente, o vestibular era chamado de Teste do Centro Nacional para Admissão em Universidades. Tanto universidades públicas como privadas participavam do exame ofertando as suas vagas.

No ano de 2021 foram realizadas modificações no exame. Principalmente no quesito de cobrança das habilidades do candidatos. O vestibular no Japão sempre passou por transformações.

Na década de 1970 a 1980 as questões eram somente de múltipla escolha e o vestibular valia apenas para as universidades públicas.

Já entre as décadas de 1990 a 2020, as universidades particulares também puderam entrar no exame para admitir novos estudantes.

As mudanças que aconteceram em 2021 tenta avaliar as capacidades doa alunos em resolver problemas. Mas, eles não terão apenas de responder questão de alternativas, e sim terão de fazer questões dissertativas.

Assim, os concorrentes precisam ter a capacidade de fazer julgamento e também de conseguir se expressar. Dessa maneira a prova não é somente saber qual a alternativa correta, mas envolve a habilidade de fazer uma boa interpretação de texto.

Assim, no primeiro dia do final de semana, no sábado são cobrados os conteúdos de geografia, história, educação cívica, japonês e línguas estrangeiras. Já no domingo são as disciplinas  ciências e matemática.

No ano de 2021, quando esse novo modelo começou a ser aplicado, um recorde de universidades estavam listadas para aprovarem alunos, ao todo foram 866.

Dessa maneira, esse exame também se aproxima um pouco também do ENEM aplicado no Brasil, apesar de não ter como intenção avaliar todos os estudantes do ensino médio.


Leia também:


A pressão para passar no vestibular no Japão

São milhares de estudantes que participam em busca de uma vaga na universidade. Muitos se preparam há anos para fazer a prova. Muitas deles além de estudarem no colégio todos os dias, depois ainda fazem cursos para conseguirem terem boas notas.

Mas, já parou para pensar o que acontece com aqueles que por algum motivo não conseguiram ir bem na prova?

Bom, aqueles que não conseguem passar acabam sofrendo preconceito por não terem nada para fazer no ano seguinte a não ser tentar mais uma vez.

Não à toa, a taxa de suicídio entre os jovens nessa faixa etária é muito alta. Os jovens se cobram muito e não conseguem lidar com o fracasso, como se a vida deles tivesse acabado a partir do momento em que não tivessem conseguido desempenhar bem no vestibular.

Muitos outros acabam se matando porque não aguentam até mesmo a pressão do dia a dia antes da prova.

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link