A arte dos japoneses de tornar melhores os trabalhos considerados chatos

A arte dos japoneses em tornar os trabalho enfadonhos mais interessantes é uma habilidade que o mundo inteiro pode invejar. Afinal de contas, isso ajuda com que não se canse de fazer algo, mas que ele possa ser interessante.

Dessa maneira, vamos mostrar alguns trabalhos que muitas vezes podem ser considerados chatos por algumas pessoas. Eles também podem ser chamados de chatos por muitas vezes não serem bem remunerados. Isso faz com que em outros lugares do planeta as pessoas acabem se cansando de exercer esse tipo de atividade, mas não no Japão.

Assim, no Japão, o atendimento ao cliente fenomenal não se limita apenas a hotéis e lojas de alto luxo. Se você entrar em qualquer loja comum, provavelmente será saudado por um funcionário que o receberá educadamente, fará uma reverência e correrá para ajudá-lo assim que perceberem que você precisa de ajuda.

Seus uniformes são impecáveis, limpos e com uma aparência bem cuidada. As prateleiras são montadas, os produtos alinhados e organizados. O chão está limpo, as janelas estão limpas e, quando você sai da loja, os funcionários vão agradecer, sorrir e se curvar até que você esteja a uma distância considerável da saída.

Isso não quer dizer que os japoneses sempre amem seu trabalho. Em qualquer trabalho, existem momentos que são cansativos, enfadonhos e tediosos. Mas a ideia de dar o seu melhor no seu trabalho – ganbaru – é amplamente valorizada, independentemente da sua profissão. Seja você um CEO ou funcionário de uma loja de conveniência, se você puder exemplificar os princípios do ganbaru, seu trabalho será respeitado.

 


Leia também:


A arte japonesa de sempre tentar trabalhar bem

Quando você pensa sobre o que é necessário para gostar do trabalho, é fácil apontar as grandes coisas – dinheiro, status, a capacidade de adquirir habilidades valiosas e ter um “por quê” significativo.

Esses fatores são importantes, mas o que fazemos com as tarefas sobre as quais não temos controle no momento? Podemos encontrar significado lá também. Quando somos positivos em relação ao nosso trabalho – mesmo no trabalho enfadonho – as pessoas percebem e nossa atitude eleva o espírito das pessoas ao nosso redor. Saber que você está fazendo um trabalho que é respeitado e edificante para os outros pode tornar qualquer trabalho chato melhor.

A ideia do ganbaru não significa necessariamente trabalhar muitas horas, exagerar na prática ou se forçar a um limite que pode causar esgotamento. A exaustão não é admirável e não deve ser procurada.

Mesmo nas viagens mais aventureiras, teremos de enfrentar tarefas enfadonhas ao longo do caminho. Em vez de se arrastar pelo trabalho penoso, tente incorporar o espírito do ganbaru. Só porque você não sente entusiasmo por uma tarefa em mãos não significa que você não possa ter uma boa experiência com ela.

Fonte: kokumura.medium.com.

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link