Você sabia que até 2015 era proibido dançar no Japão a noite?

Sim, exatamente isso, já foi proibido dançar no Japão durante a noite. Mas, felizmente, isso já foi revogado.

Depois de classificar oficialmente a dança da madrugada como crime por quase 70 anos, o Japão finalmente suspendeu sua notória lei fueiho, que proibia dançar em clubes e bares depois da meia-noite.

A suspensão dessa proibição ocorreu por conta das Olimpíadas que seriam realizadas no ano de 2020, mas que acabou sendo adiada por conta da pandemia do novo coronavírus.

Antigamente, as batidas policiais devastaram as boates em todo o país, acabando com a alegria de muitos jovens e adultos que só queria dançar a noite toda.

Conheça aqui mais sobre essa história.

Proibido dançar no Japão a noite?

Considerando a reputação de Tóquio como uma das capitais mundiais das festas, pode ser chocante descobrir que, por décadas, suas boates operaram ilegalmente. A legislação atualizada ainda tem uma restrição: as pessoas só podem dançar depois da meia-noite se houver níveis de luz adequados. Esta nova regra irá, supostamente, desencorajar atividades criminosas.

De acordo com a lei fueiho, a dança é permitida até à 01h00, no máximo, e apenas em locais que obtenham uma licença especial, o que implica o cumprimento de requisitos estritos como uma área mínima de 66 metros quadrados de superfície livre. Isso evita que estabelecimentos menores se candidatem a uma licença relevante. Como resultado, dançar é ilegal em muitos clubes do Japão lotado.

Aprovada em 1948, a lei não foi cumprida por décadas, pois existia um entendimento tácito entre as autoridades e os proprietários dos clubes. Antes de 2011, a dança sem licença era geralmente ignorada e a lei era frequentemente usada como uma desculpa conveniente para investigar atividades criminosas como drogas, lavagem de dinheiro ou suspeita de envolvimento da Yakuza. Também foi invocada como pretexto para punir os clubes por outras violações, como barulho excessivo, consumo de álcool por menores e indisciplina geral à noite, geralmente após reclamações dos moradores.

Entretanto, esse foi um cenário existente até 2011. Naquele ano, um estudante foi morto em uma briga de bar em Osaka. A natureza abrangente da lei, juntamente com o livre arbítrio dado às autoridades locais quanto à sua aplicação, afetou negativamente locais de música techno e também os clubes de salsa que permitiam a dança até tarde da noite.

A repressão na cena dos clubes de Osaka gerou uma reação pública e manifestação de apoio.


Leia também:


Porém, a lei anti-dança nunca impediu as festas no Japão. Muitos estrangeiros nem sabiam de sua existência, dançando noite adentro em clubes famosos de Tóquio, como Ageha ou Womb.

Entretanto, após a repressão inicial de 2011, os ataques se espalharam por todo o país. Até Tóquio, uma das capitais do mundo dos clubes noturnos, não foi poupada. Os donos dos clubes enfrentaram acusações enquanto os policiais estavam fechando festas e alguns clubes. Os locais começaram a postar cartazes de “Proibido dançar”, alguns até empregando segurança para evitar que os clientes se mexessem ao som da música. Em cidades menores com menos locais como Kumamoto e Fukuoka, a ameaça de fechamento foi sentida de forma muito mais aguda.

Apesar da proibição, as partes encontraram uma maneira de continuar. Os eventos musicais estavam se mudando para espaços menores e subterrâneos, mas as pessoas dançaram o tempo todo. Com a proibição arcaica finalmente suspensa, o futuro da cena noturna do Japão parece mais brilhante do que nunca.

Fonte: Where Party

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link