Skate no Japão: do preconceito à paixão nacional com medalha de ouro

Assim como em muitos lugares do mundo, o skate no Japão sofreu muito preconceito. O esporte era visto como algo perigoso e que poderia levar os jovens e até mesmo a cometer crimes.

Mas, nos últimos anos e cenário se modificou. Com a inclusão do skate nos jogos olímpicos, o esporte passou a ser visto com outros olhos. E chegou no ano de 2021 com a conquista da medalha de ouro de skate na categoria street e com todos os japoneses comemorando muito. Além disso, espera-se que o Japão consiga outras medalhas nas Olimpíadas com o skate.

Skate no Japão antes das Olimpíadas

Dificilmente alguém irá pensa em skate quando se fala de Japão.

Normalmente, pensamos em rámen, tecnologia, organização e no Godzilla. Mas mesmo com esses ícones da cultura pop japonesa, o skate está começando a se sobressair e possui uma cena no país de longo tempo.

Afinal, 6 das 12 lojas Supreme, especializada em skate, em todo o mundo estão localizadas no Japão, com a Daikanyama tendo aberto em 1998 apenas 4 anos após a primeira loja de Nova York.

Assim, quem olha para essa cena hoje, na imagina que os skatistas já foram muito odiados pelos moradores locais e instantaneamente rotulados como “pessoas más”. No entanto, depois de muitos anos se passarem no Japão, o esporte rebelde começou a ganhar mais aceitação. Embora o skate ainda seja visto como uma contracultura , ele conseguiu evoluir e crescer para popularidade. Isso aconteceu, principalmente, quando o esporte foi reconhecido como um dos que compõe os Jogos Olímpicos.

Caracterizada por um longo período de isolamento, a sociedade japonesa funciona por meio de inúmeras regras não escritas, cortesias comuns e ordem pública. Por exemplo, ao esperar pelo metrô, todos se alinham com cuidado e carregam suas mochilas na frente, a fim de evitar empurrar ninguém para trás de você. Além disso, lixo e grafite são praticamente inexistentes em espaços públicos.

Então, quando uma contracultura rebelde, apoiada por crianças desajustadas ouvindo punk e rap, surgiu nos Estados Unidos, foi recebida por um pequeno, causou muita aversão em muitos japoneses, mas também conquistou muitos fãs.

Importado através dos primeiros vídeos de skate em VHS, revistas de skate usadas e as primeiras competições estreladas por um jovem Tony Hawk, a cultura do skate chegou e foi abraçada por uma geração de adolescentes que queriam desafiar o status quo estrito.

Assim, a primeira mania do skate coincidiu com o movimento Ura-Harajuku dos anos 1990, que foi igualmente inspirado na música punk e não queria cumprir as normas da sociedade. Apesar dos moradores locais não serem as maiores líderes de torcida das equipes de skate, é graças à sua rebelião que o esporte se tornou mais amplamente acessível hoje.

E esse é um movimento que não está restrito só ao Japão, mas a muitas outras localidades do planeta. Entretanto, mesmo diante de preconceitos, hoje o Japão pode comemorar que tem um dos maiores atletas do esporte e que conquistou uma medalha olímpica.

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link