População idosa no Japão atinge recorde

O número estimado de pessoas com 65 anos ou mais, a considerada população idosa no Japão, atingiu um recorde de 36,4 milhões no mês de setembro no ano de 2021, um aumento de 220.000 em relação ao ano anterior, disse o ministério de assuntos internos.

O Japão é um país conhecido por ter uma das maiores populações idosas no mundo. Isso também revela uma série de problemas sociais nessa sociedade, em que muitos idosos acabam sendo abandonados por não serem mais produtivos ou  por serem encarados como um fardo para as suas famílias.

Assim, com o novo crescimento dessa população, o governo japonês precisará rever ainda mais as suas medidas para fazer com que essa população idosa consiga ter uma boa qualidade de vida e para que não seja abandonada.

Saiba mais sobre esse novo número e sobre o envelhecimento na população japonesa.

A população idosa no Japão

A proporção de adultos idosos na população total da nação aumentou para um recorde de 29,1%, o maior entre 201 países e regiões em todo o mundo.

Os homens mais velhos totalizaram 15,83 milhões, ou 26% da população masculina total. Havia 20,57 milhões de mulheres idosas, ou 32% da população feminina.

O ministério divulgou os dados antes do Dia do Respeito pelo Idoso, em uma segunda-feira, que é considerado como um feriado nacional.

No Japão, a proporção de pessoas idosas tem aumentado desde 1950. E desde a década de 1950 o tema tem se tornado cada vez mais importante para compreender a população do país e também para saber como lidar com outras questões sociais, como o sistema de aposentadoria e de ajuda financeira para as pessoas idosas.


Leia também


População idosa no Japão, o que esperar

Espera-se que o número aumente para 35,3% em 2040, quando a chamada segunda geração baby-boomer, ou pessoas nascidas no início dos anos 1970, atingir a idade de 65 anos ou mais, de acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas de População e Previdência Social.

Em 2020, o número de idosos com empregos atingiu a marca recorde de 9,06 milhões, crescendo pelo 17º ano consecutivo. Eles representaram um recorde de 13,6% de todas as pessoas com 15 anos ou mais de idade com empregos e 25,1% de todos os idosos.

Do total de trabalhadores mais velhos, os da indústria de atacado e varejo formavam o maior grupo, com 1,28 milhão, seguido por 1,06 milhão de pessoas que trabalhavam no setor agrícola e florestal e 1,04 milhão de pessoas na indústria de serviços.

O número de idosos com empregos não regulares totalizou 3,9 milhões, ou 76,5% do total da força de trabalho em idade avançada, excluindo executivos e trabalhadores autônomos, em comparação com 1,63 milhão há uma década.

Assim, a partir disso vemos que há uma preocupação dos idosos tanto em se manterem ocupados como também em como se sustentarem, já que muitas vezes os valores da aposentadoria pode não ser o suficiente para se manterem bem e com saúde.

Fonte: Japan Times.

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link