Universidades japonesas aumentam rigorosidade para aceitar estrangeiros

Estudar em uma das universidades japonesas  é um dos grandes sonhos de muitos jovens pelo planeta. Entretanto, é preciso saber que agora essas unidades começaram a reforçar a verificação de antecedentes de estudantes estrangeiros.

Essa rigorosidade tem aumentado principalmente no que tange os cursos de tecnologias civis-militares.

Se você tem interesse em ir a uma dessas universidades ou em indicar alguém para ir para lá, não deixe de verificar as informações aqui presentes.

Universidades japonesas e a rigorosidade para aceitar estrangeiros

As principais universidades do Japão, incluindo aquelas com laços próximos com a China, estão se movendo para restringir as verificações de antecedentes de estudantes estrangeiros que buscam estudar tecnologias civis-militares, revelou uma pesquisa do Kyodo News e que também foi divulgada pelo jornal Mainichi Shinbun.

Seus esforços para impedir que informações confidenciais sejam transferidas para fora do Japão vêm depois que o governo do primeiro-ministro Yoshihide Suga anunciou um plano em junho para aumentar o controle sobre as exportações de tecnologias que podem ser usadas para fins militares, exigindo que os alunos sob forte influência de governos estrangeiros obter a aprovação do ministério da indústria para trabalhar nessas pesquisas.

A pesquisa coletou respostas de 56 universidades, incluindo aquelas que têm acordos de intercâmbio de estudantes com universidades chinesas conhecidas como os “Sete Filhos da Defesa Nacional”, que têm ligações estreitas com a indústria de defesa da China.

Das escolas pesquisadas, 31 disseram que reforçaram as verificações de antecedentes dos alunos ou estão planejando fazê-lo.

Eles começaram a verificar com escolas que estudaram estudantes estrangeiros e as empresas para as quais trabalharam. Algumas universidades perguntam aos alunos se desejam encontrar um emprego militar, enquanto outras solicitam detalhes sobre o financiamento de pesquisas que os alunos recebem.

Anteriormente, muitas universidades perguntavam apenas sobre as últimas escolas que os alunos frequentaram.

Em maio do ano de 2020, havia cerca de 280.000 estudantes estrangeiros no Japão, com os da China respondendo por mais de 40%.

Atualmente, o Japão não possui regras rígidas de pesquisa por estudantes e pesquisadores estrangeiros nas chamadas tecnologias de duplo uso com aplicações militares, como inteligência artificial.

Mikihito Kano, um professor da Universidade de Mie especializado em gestão de propriedade intelectual, diz que enquanto as universidades japonesas dependerem dos currículos dos alunos para verificações de antecedentes, o governo precisa conduzir uma triagem mais rigorosa dos alunos estrangeiros.


Leia também


Como estudar em uma das universidades japonesas

Uma das maneiras para se estudar em uma das universidades japonesas se você não está no Japão é por meio dos programas do próprio governo do país.

Um desses programas é concedido pelo consulado japonês, que é o MEXT.

Além de poder estudar em diversos níveis no Japão, também se recebe uma bolsa para que se possa estudar com toda a tranquilidade no Japão. Para saber maiores informações, não deixe de ver o que já publicamos.

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link