Diferença entre solidão e estar sozinho no Japão: por que os japoneses gostam de estar só?

Existe uma diferença entre a solidão e estar sozinho no Japão. A primeira diz respeito a algo mais atrelado a um sentimento de isolamento e sem ninguém para contar. Já o segundo, pode ser visto como algo que se quer, como algo positivo, nesse sentido, pode ser entendido como solitude.

Por mais que possa parecer estranho a muitas pessoas, os japoneses gostam de estar sozinhos em muitos momentos. Conheça aqui um pouco mais sobre estar sozinho no país e como isso é visto.

Estar sozinho no Japão

Quando a japonesa Yoko Higashi se mudou para Taipei, cinco anos atrás, ela frequentava um restaurante local quase todas as noites para jantar sozinha. Ela tinha feito alguns amigos na escola de línguas que frequentava, mas depois de um longo dia estudando mandarim, ela queria um tempo sozinha para relaxar.

O dono do estabelecimento, porém, ficou preocupado.

“’Por que você está sempre sozinha? Posso apresentá-la a algumas pessoas que conheço’”, dizia ele por gentileza, lembra Higashi, uma escritora e editora freelancer que agora mora em Hanói, no Vietnã. “Ele deve ter pensado que eu era uma estudante de línguas solitária, sem ninguém com quem jantar. Não acho que ele entendeu que eu queria um espaço sozinho. ”

Vindo do Japão, onde jantar sozinho é uma prática amplamente aceita, foi uma nova percepção de que estar sozinho é considerado estranho e até anti-social em algumas sociedades.

Essa tolerância, ou mesmo afinidade, pela solidão nunca foi tão bem exibida como na pandemia. Apesar de não haver medidas restritivas de bloqueio em vigor, muitos japoneses têm atendido às solicitações de distanciamento social e de permanência em casa durante vários estados de emergência.

Existem restaurantes yakiniku (churrasco no estilo coreano) e shabu-shabu (carne e vegetais quentes) que atendem a clientes sozinhos. As salas de ginástica e sauna para uma pessoa estão disponíveis nas grandes cidades, e os hotéis e ryokan (pousadas de estilo japonês) oferecem ofertas especiais para viajantes individuais.

Atividades ao ar livre, como camping solo e caminhada solo, são tendências, enquanto vários livros e mangás descrevem como os muitos prazeres da vida podem ser desfrutados por você mesmo, livre dos olhares atentos de amigos, colegas ou vizinhos.


Leia também


O lado ruim de estar sozinho no Japão

Tudo tem um outro lado, é claro. Embora os benefícios de trabalhar sozinho sejam elogiados, o número de suicídios e casos de violência doméstica aumentam, e as chamadas mortes solitárias – onde aqueles que vivem sozinhos são encontrados mortos em suas casas – estão aumentando. E o impacto psicológico negativo do isolamento está cobrando seu preço na forma de depressão e ansiedade.

Mas por que o Japão, uma sociedade conhecida por dar prioridade ao grupo sobre os indivíduos e onde o conformismo é altamente valorizado, está tão apaixonado pela ideia de solidão?

Mas por que gostar de estar sozinho no Japão?

Em japonês, existe um termo conhecido como murahachibu, que significa ser excluído da vida da aldeia e se refere ao ostracismo social baseado na vergonha, diz Yoshihiko Morotomi, professor da Universidade Meiji e psicólogo clínico que escreveu livros sobre solidão.

“Há um forte sentimento de pressão dos colegas no Japão, onde uma mentalidade de aldeia insular força as pessoas a se sentirem compelidas a serem muito sensíveis sobre os relacionamentos”, diz Morotomi. “Então, comer sozinho ou se envolver em hobbies e atividades sozinho torna-se uma experiência libertadora – um grande alívio e uma fuga temporária das várias obrigações interpessoais às quais as pessoas se sentem acorrentadas.”

Fonte: Japan Times.

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link