Lobo japonês extinto pode ser a chave para descobrir a origem dos cachorros

Venerado por séculos no Japão como um mensageiro divino e protetor das terras agrícolas, o lobo japonês desapareceu do arquipélago no início do século 20 depois que sua população foi dizimada por doenças e os humanos os caçaram em nome da defesa do gado.

Seu trágico destino, no entanto, junto com o mistério persistente sobre sua verdadeira identidade e até mesmo relatos de avistamentos modernos, o manteve vivo na mente de muitos. Agora, um novo estudo diz que o lendário animal pode oferecer a chave para a compreensão das origens do melhor amigo do homem.

O lobo japonês

O lobo japonês (Canis lupus hodophilax) é o parente mais próximo dos ancestrais dos cães, mais do que qualquer outra população de lobo cinzento, de acordo com Yohey Terai, um biólogo evolucionário da Universidade de Graduação em Estudos Avançados na Prefeitura de Kanagawa que liderou a pesquisa.

Os estudos até agora indicaram que cães e lobos eurasianos provavelmente divergiram de um ancestral lobo comum, um processo que ocorreu de 20.000 a 40.000 anos atrás. Mas tem havido muito debate sobre quando e onde isso aconteceu, em parte porque acredita-se que a população original de lobo cinzento tenha desaparecido.

Muitas regiões da Eurásia foram propostas como candidatas à origem de cães, incluindo o Oriente Médio, Ásia Central, Europa e parte do sul da Ásia Oriental, mas discussões sobre a origem ou origens, bem como o momento da domesticação, continuou.

As relações do lobo japonês com os cachorros

“Nossa pesquisa nos permite levantar a hipótese de que as linhagens de cães divergiam dos lobos no Leste Asiático”, disse Terai durante uma entrevista. Mais especificamente, a população extinta do lobo cinzento, da qual se suspeita que os cães foram domesticados, está intimamente relacionada ao ancestral do lobo japonês e provavelmente habitou o Leste da Ásia, de acordo com o estudo divulgado na semana passada, que ainda está para ser revisado por pares.

Terai, no entanto, tem o cuidado de acrescentar que isso não significa necessariamente que os cães foram domesticados no Leste Asiático. “Eles poderiam ter se dispersado em outro lugar antes de ter um relacionamento com humanos – isso é algo que não podemos saber a partir dos dados do genoma, e algo que exigirá evidências arqueológicas.”

Em sua pesquisa, Terai e sua equipe extraíram e sequenciaram os genomas inteiros de nove lobos japoneses do século 19 ao 20 e 11 cães japoneses, incluindo o shiba e o Akita. Eles então compararam suas sequências com uma ampla gama de canídeos de todo o mundo, incluindo cães modernos, dingos, coiotes e uma variedade de lobos. Eles descobriram que o lobo japonês era uma subespécie única do lobo cinzento e geneticamente distinto dos lobos cinzentos modernos e antigos.


Leia também


Mas quando Terai e seus colegas construíram árvores evolutivas, eles descobriram que o lobo japonês era na verdade o mais próximo dos cães entre os lobos e que eles essencialmente tinham uma “relação de grupo irmão” ou eram parentes mais próximos um do outro.

A afinidade genética era especialmente evidente entre os cães orientais, incluindo caninos como o dingo e o cão cantor da Nova Guiné, bem como as raças japonesas modernas. Em contraste, os cães da linhagem da Eurásia Ocidental, em particular os da África, mostraram pouca afinidade com os lobos japoneses.

Além disso, os genomas mostram que o ancestral do lobo japonês cruzou com o ancestral dos cães orientais pelo menos 10.000 anos atrás, após a divisão das linhagens de cães da Eurásia Ocidental e Oriental, e que a ancestralidade do lobo japonês foi herdada por muitos cães modernos – até mesmo linhagens ocidentais através de misturas históricas com suas contrapartes orientais.

Como resultado, até 5,5% dos genomas dos cães modernos em toda a Eurásia Oriental são derivados da ancestralidade do lobo japonês, diz o estudo.

 

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link