Insetos no Japão viram animais de estimação com direito a serviço funerário

Os insetos no Japão já se tornaram animais de estimação há algum tempo. Entretanto, nos últimos anos houve um aumento da demanda por serviços funerários para eles.

Veja aqui como o país tem lidado com essa nova demanda.

Os insetos no Japão e os funerais

Houve um aumento repentino nas consultas a empresas que oferecem funerais para amados insetos de estimação no Japão, sugerindo um aumento na popularidade dos serviços fúnebres.

“Recebemos um besouro rinoceronte japonês como parte da educação de minha filha, então relutamos em jogá-lo fora com o lixo biodegradável quando morreu”, disse Takayuki Fukui, um pai de 45 anos da cidade de Nishinomiya, Prefeitura de Hyogo . Sua filha, uma aluna da segunda série da escola primária, cuidou do besouro por cerca de três meses antes de morrer em setembro. Eles pensaram em enterrar o besouro ao ar livre em um parque, mas a família estava preocupada que a bactéria que decompor o cadáver fosse prejudicial para o ecossistema local.

Enquanto Fukui pensava em descartar o inseto como lixo combustível, ele aprendeu sobre funerais de insetos online e decidiu se inscrever. “Minha filha estava triste com a morte do besouro rinoceronte, mas eles (a empresa) trataram os restos mortais com cuidado, então ela parecia aliviada”, disse ele.


Leia também:


O Ai Pet Group, que oferece serviços funerários de insetos desde 2019, tem visto seu número de clientes aumentar a cada ano. Embora tivesse apenas cerca de 10 consultas em 2019, esse número aumentou para cerca de 40 em 2020, e até 100 no final de outubro de 2021. A maioria dos insetos trazidos são besouros rinoceronte ou besouros que estavam sob os cuidados de crianças até a idade escolar primária.

Para conseguir o funeral de um querido amigo de seis pernas, as pessoas trazem os restos mortais ou os enviam dentro de um kit especial equipado com um agente de secagem e material de enchimento. O inseto é então enterrado no cemitério “Paraíso dos insetos” na cidade de Amagasaki, na província de Hyogo, onde um sacerdote budista realiza cerimônias memoriais uma vez por mês. Os restos mortais não são cremados, porque a carapaça não sobrevive ao fogo. Alguns insetos trazidos até tinham mensagens anexadas, incluindo: “Obrigado por vir a nossa casa em um corpo tão pequeno” e “Por favor, vá para o céu. Jamais nos esqueceremos de você”.

A Abircome Co., que dirige o Ai Pet Group, lançou serviços funerários para animais de estimação em 2003. Para se diferenciar de outras empresas, há cerca de quatro anos ela começou serviços para animais que não sejam cães e gatos, incluindo hamsters, papagaios e coelhos. A empresa lançou funerais de insetos na mesma linha e como um serviço educacional. A maioria dos rinocerontes adultos e dos besouros de veado são comprados no início do verão e morrem no outono. Ao incentivar as crianças a comemorar a morte dos insetos de maneira adequada, a empresa espera nutrir atitudes que valorizem a vida.

O diretor da Abircome, Shinobu Nakata, 48, comentou: “Os funerais de insetos provocaram uma reação além de nossas expectativas. As crianças estão tratando seus insetos de estimação com muito cuidado”.

Nakata disse que uma das razões para o crescimento dos funerais de insetos é o aumento do número de pessoas que vivem em prédios de apartamentos urbanos. Ele disse: “Suponho que haja mais pessoas que não têm cães ou gatos, mas pequenos animais e répteis, além de insetos. Os pais que se candidatam aos serviços também desejam ensinar a importância da vida aos seus filhos. Se eles participam de cerimônias fúnebres agora, o que pode encorajá-los a cuidar de outros animais de estimação que possam ter no futuro. “

Fonte: Mainichi.JP.

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link