Fênix japonesa: ave ressurge após extinção graças ao Japão

Uma ave considerada como em extinção já pode ser tida como uma verdadeira fênix japonesa. Isso porque, ela acabou de sair dessa categoria e agora pode ser vista em alguns lugares do país.

Obviamente que ela ainda não está segura, mas com certeza só de não estar mais em extinção já é uma ótima notícia tanto para o meio ambiente como para a paisagem. Conheça aqui como o Japão conseguiu trazer essa ave de volta.

A fênix japonesa

Estamos falando dos pássaros toki. A sua extinção aconteceu devido à perseguição que sofreram.

Eles foram considerados uma praga que danificou as plantas de arroz, e durante a era Edo do Japão, de 1603 a 1867, era permitido que os funcionários de alto escalão podiam perseguir ativamente pássaros como o toki. Somada à perseguição anterior ao pássaro, durante esse período, eles foram largamente mortos.

Isso mudou na era Meiji e à medida que as armas se tornaram mais disponíveis.

Entertanto, acreditava-se que a carne toki trazia benefícios à saúde, e suas penas eram preferidas para tudo, desde espanadores a floreios decorativos em chapéus.

Diante disso, na Era Meiji, Em apenas 40 anos, o toki basicamente desapareceu.

O que fez com que no início da década de 1930, apenas algumas dúzias de toki permaneciam no Japão, principalmente em Sado e na península de Noto, e a espécie ganhou status de proteção.

Porém, o massacre desses pássaros ainda estava longe de acabar.

Uma nova ameaça surgiu então durante o impulso de crescimento do Japão no pós-guerra: o uso crescente de fertilizantes químicos e pesticidas.

Toki se alimentam principalmente em arrozais que imitam habitats pantanosos e são comensais indiscriminados, comendo de tudo, desde insetos a pequenos caranguejos e sapos.

Os produtos químicos afetaram os pássaros e seus alimentos e, em 1981, apenas cinco toki selvagens permaneceram no Japão, todos em Sado, onde as autoridades os levaram para um cativeiro protetor.


Leia também


A fênix japonesa e  o seu repaarecimento

O repaarecimento do Toki só poderia acontecer por um coincidência , no mesmo ano de 1981, uma população de sete tokis selvagens foi descoberta em uma área remota da província chinesa de Shaanxi, reavivando as esperanças de sobrevivência da ave.

As aves em cativeiro de Sado não conseguiram acasalar, mas o programa da China teve mais sucesso, e quando o então presidente chinês Jiang Zemin fez uma histórica primeira visita de Estado em 1998, ele ofereceu ao Japão um par de tokis de presente.

Os agricultores foram solicitados a cortar pela metade os fertilizantes químicos e pesticidas do nível permitido pelas regras locais, mas houve resistência.

O principal impasse era que alguns agricultores não conseguiam ver o sentido de outras propostas, como canais subterrâneos conectando campos de arroz a rios para aumentar o fluxo da vida aquática.

As autoridades locais então recusaram-se a comprar arroz de agricultores que rejeitaram os novos limites químicos e criaram uma nova marca premium de arroz “amigável ao toki” para aqueles que o fizeram.

Porém, mesmo os agricultores relutantes em se adaptar ficaram “encantados” ao ver um pássaro com status quase mítico no Sado vagando pelos seus campos.

Hoje em dia, cerca de 20 aves são soltas duas vezes por ano depois de se formarem em um programa de treinamento de três meses que as prepara para a vida fora de uma gaiola.

Fonte: Japan Today.

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link