Comunistas com espadas samurai sequestraram avião no Japão em 1970, veja o que aconteceu

Conhecido como Incidente de Sequestro de Yodogo, esse sequestro de avião no Japão é um dos sequestros mais emblemáticos do mundo. 

 Em 31 de março de 1970, esse surpreendente sequestro chocou o país e os passageiros que faziam o trajeto entre Tóquio e Fukuoka. Os responsáveis pelo sequestro eram integrantes da Facção do Exército Vermelho, que pertencia à Liga Comunista do Japão. 

Conheça aqui mais sobre esse incidente e qual foi o seu desfecho.

O sequestro de avião no Japão

Logo depois do voo ter decolado, quando ainda tinham se passado somente 20 minutos de viagem, um jovem chamado Takamaro Tamiya se levantou de seu assento com uma espada samurai Katana.

Assim que ele sacou a sua espada, deu uma palavra de ordem para que os outros integrantes de sua facção também se levantasse. Ao todo, os sequestradores fizeram de reféns 129 pessoas (122 passageiros e sete tripulantes).

Com os reféns, eles começaram a por o plano em ação. Dessa maneira, ordenaram aos pilotos para que fossem levados para Cuba. No país, pretendiam ter treinamento junto aos grupos militares comunistas. Vale recordar que Cuba era comunista desde 1959, quando o comunismo assumiu o poder após a revolução.

Porém, os sequestradores foram informados que não havia como chegar até Cuba por conta do combustível. Assim, a aeronave teve de parar em Fukuoka para reabastecer. O plano então tornou-se somente abastecer em Fukuoka e partir para a Coreia do Norte.

Porém quando chegaram lá, a polícia convenceu os sequestradores a libertar a maioria de seus reféns, e os pilotos receberam um mapa da península coreana

Junto com o mapa estava uma nota com indicações de como os pilotos deveriam agir e sintonizar seus rádios em uma determinada frequência.

Dessa maneira, os controladores de voo conseguiram passar informações incorretas para que o avião fosse para a Coreia do Sul e não para a do norte. Além disso, até mesmo o aeroporto foi disfarçado para parecer como se fosse do lado norte.

Mas, mesmo assim os sequestradores rapidamente perceberam que haviam sido enganados.

Diante disso, e parecendo não haver escapatório, o vice-ministro dos Transportes do Japão , Shinjiro Yamamura, se ofereceu para tomar o lugar dos reféns restantes. Ele foi aceito e então seguiram para a Coreia do Norte. 

Assim que chegaram na Coreia do Norte, foram recebidos pelas autoridades do país e receberam asilo político.

Posteriormente, o avião voltou para o Japão com o restante dos reféns.


Leia também:


A prisão dos responsáveis pelo sequestro de avião no Japão

Entre as pessoas que foram responsáveis por esse sequestro, sabe-se que Takaya Shiomi, que foi o mentor da ação, apesar de não estar no avião, acabou sendo preso e cumpriu pena de 20 anos.

Yoshimi Tanaka, foi encontrado na Tailândia e preso. Entretanto, depois foi repatriado ao Japão onde cumpriu mais alguns anos de prisão.

Yasuhiro Shibata volta ao Japão com intuito de arrecadar dinheiro para futuras ações da milícia, foi preso, e condenado a cinco anos de prisão. Yoshida Kintaro, falecido em 1985, Takamaro Tamiya (líder), morre em 1995.

Acredita-se que Takeshi Okamoto e sua esposa Fukudome Kimiko morreram enquanto tentavam fugir da Coreia do Norte.

Já Takahiro Konishi, Shiro Akagi, Kimihuro Uomoto, Moriaki Wakabayashi continuam vivendo no país, entretanto, as informações sobre como vivem são vagas.

Fontes: Wikimedia, Infomoney e Almanaque dos conflitos.

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link