Por que os jovens no Japão odeiam trabalhar com pessoas mais velhas?

A carreira profissional dos jovens no Japão é sempre um motivo de orgulho para a família e para orgulho dele mesmo. Afinal de contas, depois de anos de árduo estudos, chegou o omento de entrar em uma empresa, fazer novas conexões, aprender mais um monte de outras coisas e trilhar uma carreira de sucesso junto aos seus colegas de trabalho.

Bom, pelo menos essa é a ideia do que se espera que se aconteça com esses jovens. Mas, na prática, algo muito diferente acontece.

E isso é possível de ser visto já por um choque de geracões que está cada vez mais escancarado dentro das empresas no Japão.

Assim, conheça uma pesquisa que revelou como somente 30% dos jovens japoneses respeitam os trabalhadores mais velhos dos lugares onde trabalham.

Jovens no Japão não respeitam pessoas mais velhas no ambiente de trabalho

Em uma pesquisa com 300 pessoas no mês de junho de 2022, pouco menos da metade disse que há um idoso trabalhando em sua empresa que realmente não faz nada. E, agora, em junho de 2022, os trabalhadores japoneses mais antigos de uma empresa também não se saíram muito bem em uma pesquisa mais recente da revista japonesa Spa, com as respostas dos participantes mostrando que não têm muito respeito pelos mais velhos.

A pesquisa perguntou a 2.000 pessoas qual porcentagem de “funcionários antigos” em sua empresa eles respeitavam. Não parece ter havido uma definição estrita do que constitui “velho”, mas com as respostas sendo coletadas apenas de pessoas com idades entre 20 e 49 anos, 50 anos ou mais parece ser o demográfico que a pesquisa estava sugerindo.

Quando as respostas foram computadas, a maioria dos entrevistados disse respeitar 30% ou menos de seus antigos colegas de trabalho, e apenas 23,2% disseram respeitar a maioria de seus antigos colegas.

Ou seja, temos um índice alto de pessoas que não fazem questão de respeitar os seus colegas de trabalho que são mais idosos.


Leia também:


Jovens no Japão e a tensão com os idosos

Os participantes da pesquisa foram então questionados sobre quais contribuições positivas seus antigos colegas de trabalho fazem para a empresa , o que acabou sendo bastante difícil para a maioria deles responder, pois as respostas foram:

  • Nada em particular: 55,6%
  • Conhecimento e habilidades relacionadas ao trabalho: 19,9%
  • Orientação e instruções claras: 14,2%
  • Capacidade de lidar com crises: 11,4%
  • Liderança forte: 10,6%
  • Conselhos úteis quando solicitados: 10% 
  • Uma atmosfera de fé nos trabalhadores: 6,3% 
  • Eles não se envolvem em assédio sexual ou de poder: 6,3%

Entretanto, é preciso destacar como essa pesquisa foi feita. Como destacou o site Sora News, 2.000 pessoas não é uma amostra grande, e Spa é uma revista bastante sensacionalista, com forte foco em escândalos e fofocas.

Além disso, seus leitores regulares podem estar mais predispostos a ver aspectos negativos nas pessoas e interações sociais, e isso, por sua vez, pode estar distorcendo os resultados da pesquisa para mostrar uma visão mais obscura dos antigos colegas de trabalho do que a população japonesa como um todo.

Fonte: Sora News.

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link