A dieta macrobiótica japonesa para emagrecimento saudável

A dieta macrobiótica japonesa é muito mais do que um meio para levar ao emagrecimento, apesar de hoje em dia ser mais conhecida por isso.

Ela é uma maneira de começar a se alimentar de uma maneira saudável e equilibrada. E esse equilíbrio não se refere à calorias e macronutrientes, mas há uma concepção que deriva do próprio budismo e de outras filosofias orientais.

Assim, a macrobiótica faz com que haja uma reconexão da pessoa com o seu corpo trazendo muitos outros benefícios que vão para além do estético. Além disso, a dieta macrobiótica japonesa não se pauta no emagrecimento, afinal de contas, uma pessoa magra não exclusivamente um sinônimo de saúde.

A dieta macrobiótica japonesa: sua origem

Macrobiótica é um conceito de dieta promovido ao mundo pelo japonês George Ohsawa como uma forma de comer uma variedade de alimentos integrais que são energeticamente equilibrados entre yin e yang. 

De acordo com as crenças orientais, na natureza, tudo é feito de energia descrita como tendo características “yin” ou “yang” em proporções variadas.

Para as estações, o clima quente é considerado “yang”, e a natureza nos oferece alimentos “yin”, como a melancia, para nos ajudar a nos refrescar e nos manter hidratados. O clima frio é considerado “yin” e nos são oferecidos vegetais de raiz “yang” para nos ajudar a nos sentir aquecidos e aterrados.

A energia Yin está presente em alimentos que crescem para cima e para fora, como folhas verdes que crescem em direção ascendente e frutas que crescem em plantas mais altas, como árvores.

Yin também representa alimentos que nos fazem sentir elevados, por isso também inclui açúcares refinados e grãos. Quando comido em equilíbrio, você se sentirá acordado, alerta e leve em seu corpo. Em excesso, você experimentará uma alta seguida de uma queda.

A energia Yang, por sua vez,  representa o oposto: alimentos que possuem energia centrípeta que se move para dentro e para baixo. Você pode ver isso visualmente em alimentos como vegetais de raiz que crescem no chão e ficam apontados para as extremidades (ou seja, cenouras, daikon etc.). Os produtos de origem animal também são considerados yang, pois são concentrações da nutrição consumida pelo animal. Quando você come alimentos com mais propriedades yang, você se sente aquecido e relaxado. Em excesso, você pode facilmente se sentir letárgico.


Leia também:


A dieta macrobiótica japonesa: os benefícios e o que comer

Grãos integrais – arroz integral em particular – são considerados o item alimentar mais energeticamente equilibrado em macrobiótica, por isso é considerado o ponto de partida mais importante em uma refeição macrobiótica.

Além do arroz integral, uma refeição macrobiótica típica consiste em outros alimentos moderadamente equilibrados, como folhas verdes, vegetais redondos (como abóbora, repolho e cebola que são literalmente redondos), vegetais de raiz, feijão e sopa de missô. 

A dieta macrobiótica não é necessariamente uma dieta vegetariana, embora a maioria das pessoas que praticam macrobiótica opte por comer no estilo vegetariano.

As pessoas que são defensoras da macrobiótica que consomem produtos de origem animal tendem a se ater a peixes e frutos do mar em pequenas quantidades. 

A grande questão, no final, , o objetivo é comer de forma energeticamente equilibrada.

Fonte: Savy Tokyo.

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link