Japoneses chicanos: quando o México encontrou o Japão

Os japoneses chicanos são grandes apreciadores da cultura chicana.

A cultura chicana tornou-se popular nos anos 1990 quando principalmente descendentes de mexicanos nos EUA trouxeram um novo estilo de se vestir e de se comportar. Eles costumavam a andar com camisetas regatas brancas, com calças jeans largas e eram tatuados. Além deles, também haviam as mulheres que andavam em estilo parecido. Em muitos casos, também podiam ter uma touca ou uma bandana.

Conheça mais aqui como essa cultura chegou ao Japão.

Os japoneses chicanos e a cultura dos cholos e cholas

Antes de mais nada, vamos destacar que aqui não cabe fazer uma longa descrição da presença dos mexicanos nos EUA e todo o preconceito que enfrentaram e enfrentam. Mas sim valorizar a sua cultura e como ela chegou ao Japão sendo altamente amada.

Os chicanos também são muitas vezes chamados de cholas e cholas. Esses termos referem-se normalmente aqueles que são descendentes de latino americanos. E esse termo também pode ser utilizado para se referir a um grupo ou grupos de jovens que começaram essa nova cultura nos EUA, principalmente no estado da Califórnia.

De acordo com o site Japan Junky, na maioria das vezes, você verá cholos vestindo uma combinação de tartan, flanelas, camisetas ou tops grandes, uma bandana na cabeça ou um boné de beisebol combinado com calças largas ou jeans. Eles geralmente complementam tudo com acessórios como óculos escuros, correntes de ouro e até uma tonelada de tatuagens. Isso é basicamente a aparência de um cholo. Confortável e solto com uma pitada de borda.

Mas, como todas essas referências chegaram ao Japão e ganharam adeptos?


Leia também:


Os japoneses chicanos

Embora chicanos e cholos tenham uma história e tanto, a cultura japonesa de cholo é bem nova. Não há uma história que tenha provado ser as origens da cultura cholo japonesa, mas diz-se que um jornalista japonês viajou para Los Angeles no início dos anos 90 para cobrir um evento lowrider, que são carros modificados e rebaixados na traseira principalmente. Ele voltou fascinado pela cultura e compartilhou suas experiências e fotos com pessoas no Japão.

Outros dizem que a cultura começou a se tornar mais popular no final dos anos 80 até o início dos anos 90 por causa de revistas como a Lowrider Magazine. Durante esse período, o Japão estava se abrindo mais culturalmente para o mundo exterior, e o povo japonês começou a ficar mais fascinado com qualquer coisa que não fosse japonesa quando a economia da bolha acabou.

As pessoas que viajaram para Los Angeles e voltaram com um profundo interesse pela cultura cholo decidiram replicar sua essência.

A cultura japonesa cholo é bastante proeminente em cidades como Nagoya, Osaka e Tóquio. Em cada cidade, há áreas onde você verá mais membros da comunidade ao redor e lojas para comprar produtos importados de LA que se assemelham ao estilo que todos usam.

É até mesmo possível ver lowriders por esses locais e encontrar japoneses chicanos.

A apenas duas horas de carro de Tóquio, Nagoya abriga a maior comunidade de lowrider do Japão. O clube de carros mais conhecido da cidade é o Pharaoh Car Club, fundado pelo padrinho japonês Junichi ShimodairaEle atua na comunidade de lowrider há mais de 30 anos – praticamente desde o início.

Shimodaira é um dos poucos caras que as pessoas da cultura cholo japonesa procuram para qualquer coisa a ver com essa subcultura e cultura lowrider – ele é um modelo que as pessoas admiram.

A seguir você pode ver uma das expressões musicais do Japão influenciada por essa cultura de MoNa aka Sad Girl:

Receba GRÁTIS notícias do Japão